LANCE!
10/07/2017
13:13
São Paulo (SP)

O Sport mantém a confiança de que Diego Souza vai se reapresentar ao clube depois de pedir para não jogar contra o Coritiba alegando problemas particulares. Na mira do Palmeiras, o meia-atacante faria nesta segunda seu sétimo jogo pelo Brasileiro e assim não poderia transferir-se a um rival da Série A. Para Arnaldo Barros, presidente rubro-negro, isto não influenciou no pedido para ficar fora da viagem ao Paraná, mas se o jogador não voltar, pode buscar uma resolução na Justiça.

- Diego Souza sempre se portou de maneira correta. Ele não treinar nos deixou preocupados, apreensivos, mas logo em seguida o empresário dele (Eduardo Uram), a pedido de Diego Souza, disse que ele teve um problema sério, e precisou viajar na madrugada ao Rio de Janeiro. Nós não vemos até agora nenhum motivo para não acreditar nas palavras do nosso atleta, que tem abertura e canal com todos os dirigentes, com a presidência - afirmou Arnaldo Barros, em entrevista à rádio Jornal.

- Temos esperança que ele retorne logo. Se por acaso não retornar, vamos procurar os meios juridicamente e administrativamente existentes para que se manifeste. Sabemos como tratar as questões, os interesses do Sport sempre serão preservados - acrescentou.

Arnaldo diz não ter como dizer se o Palmeiras está assediando o jogador, apenas que houve uma manifestação de interesse, algo legítimo. O Verdão entrou em contato com o Sport e mostrou-se disposto a pagar R$ 12 milhões pelo meia-atacante de 32 anos, convocado por Tite à Seleção Brasileira. A primeira postura da diretoria do Leão foi avisar que o negócio apenas sairia mediante o pagamento da multa, de quase R$ 60 milhões. O dirigente já admite negociá-lo por menos, caso Diego de fato queira ir embora.

- Acreditamos no atleta, que tem contrato até dezembro de 2018, com possibilidade de estender até 2019. Estamos conversando sobre esta extensão, não fechamos ainda, estamos na fase de propostas, visando a extensão. Não tem negociação com o Palmeiras nem a nenhum outro clube. Quando dissemos que a multa é elevada, mas que se o jogador quiser sair ele não fica, que é a única possibilidade de ele sair, é porque não podemos ter um atleta com este nível de remuneração, com este nível de liderança, de representatividade no elenco, insatisfeito - explicou.

- Se ele (Diego) não quisesse ficar e nos comunicasse, falaríamos para seu empresário encontrar um clube que pagasse o que o Sport ache justo para sua saída. Aí de fato teria que começar a negociar, mas em cima do valor que o Sport entenda como justo, tendo como parâmetro a multa estabelecida - reforçou Arnaldo Barros.


O Palmeiras espera uma definição entre Sport e Eduardo Uram para avançar. O empresário tem negociado em busca da liberação ao atual campeão brasileiro, ou de um aumento salarial para o camisa 87. 

Nesta segunda, o Sport enfrenta o Coritiba sem seu principal jogador, que por enquanto segue no Rio de Janeiro (RJ).