Campus Freguesia, localizado na Zona Oeste do Rio, foi o palco de uma homenagem à medalha de ouro Rafaela Silva, Popole Misenga, Yolande Mabika e Victor Penalber

Judocas foram homenageados na Universidade Estácio de Sá, no Rio (Foto: Armando Paiva/Estácio/Divulgação)

LANCE!
26/08/2016
12:00
Rio de Janeiro

O campus Freguesia da Estácio abriu as portas e, junto com o Instituto Reação, homenageou seus judocas que participaram dos Jogos Olímpicos Rio 2016. Victor Penalber - atleta da Equipe Furnas -, Popole Misenga, Yolande Mabika e a medalhista de ouro, Rafaela Silva, conversaram com jornalistas e parceiros e apaixonados pelo judô. Os atletas receberam uma homenagem do Instituto Reação – uma placa e uma medalha –, além de cartazes produzidos pelas crianças que treinam com eles no mesmo espaço.

- Só tenho que agradecer a todos vocês que apoiam o Reação e essas crianças. Eu já estive do lado delas e consegui chegar até aqui. Hoje posso dizer que realizei um sonho, mas não consegui isso sozinha. Essa medalha pode dar esperança para elas também. Treinamos juntos, no mesmo tatame, temos o mesmo mestre, então por que não teremos outras medalhas? - disse a campeã olímpica, Rafaela Silva

Atleta do Time Estácio, Popole Misenga, refugiado do Congo, teve um caminho difícil e sofrido até aqui, não ganhou uma medalha, mas ganhou uma família.

- Quero agradecer a todos que participaram da minha história, as pessoas que me trouxeram até aqui, até meu 'pai-sensei', Geraldo (risos). Ele me treinou muito forte aqui, me levou para treinar com a seleção brasileira, lá nas lutas que tive na Olimpíada, ele estava junto comigo. Quero agradecer a Estácio, que me ajudou bastante, com as aulas de português, e todo o suporte necessário. Não consegui a medalha, mas a luta é assim: um dia ganha, no outro perde. Mas eu vou conseguir a medalha no futuro, existem outros campeonatos - disse Popole.

Yolande Mabika chegou ao Instituto Reação e ao Time Estácio junto com Popole. Hoje ela está muito mais acostumada com a língua e mais à vontade na nova casa. Sorridente no reencontro com os amigos, Yolande fez questão de valorizar uma nova página na sua vida.

- Estou feliz por ter participado da competição que é o sonho de todo atleta. Quero agradecer a todos que me ajudaram nessa caminhada. Minha vida era muito difícil e agora estou escrevendo uma nova história. Não ter conquistado a medalha não tem problema, vamos buscá-la em Tóquio. O que eu ganhei foi muito mais do que isso. Obrigada a todos! - finalizou Yolande.

A Estácio é parceira do Instituto Reação através do Programa de Responsabilidade Social. Uma das unidades do projeto fica alocado no campus Freguesia da universidade. O ex-tenista Gustavo Kuerten é o embaixador do programa Estácio no Esporte, que conta com atletas como Adriano Mineirinho (surfe), Bruno Soares (tênis), Teliana Pereira (tênis), Barbara Leôncio (atletismo), Laís Souza (ginástica), Daniele Hypolito (ginástica) entre outros. Presente nos Jogos Rio 2016, a Estácio é a primeira instituição de ensino apoiadora olímpica e, por meio de sua área de soluções corporativas, foi a provedora dos serviços de seleção e capacitação dos 140 mil voluntários e 6000 colaboradores dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016.