Fellipe Lucena
20/05/2017
21:00
São Paulo (SP)

O time quase todo reserva do Palmeiras não foi páreo para a Chapecoense na Arena Condá. Nem a calça vinho de Cuca foi escalada neste sábado. Luiz Antônio, aos 27 minutos do segundo tempo, deu graça a um jogo morno e garantiu a vitória por 1 a 0 dos donos da casa.

O gol decisivo saiu um instante depois do momento mais emocionante da noite, quando todos ficaram em pé para cantar o famoso “vamos, vamos, Chape” em homenagem aos 71 mortos no acidente aéreo do ano passado. Isso acontece em todos os jogos em Chapecó, sempre no minuto 26 do segundo tempo (71º minuto do tempo regulamentar).

Tanto Chape quanto Palmeiras têm compromissos decisivos pela Libertadores no meio de semana. Se não perder pontos pela escalação irregular de Luiz Otávio na vitória sobre o Lanús, em julgamento previsto para segunda-feira, a Chapecoense dependerá de uma vitória em casa sobre o Zulia, na terça, para avançar. O Verdão receberá o Atlético Tucumán na quarta-feira e avançará até se perder por um gol de diferença.


Apesar das situações semelhantes, os técnicos adotaram estratégias diferentes. Mancini usou força máxima, promovendo a estreia (discreta) de Seijas na vaga de João Pedro, lateral-direito que tem sido utilizado como armador e não jogou por estar emprestado pelo Palmeiras – mesma situação de Nathan.

Cuca usou só três titulares: Prass, Tchê Tchê (capitão pela primeira vez) e Willian. Entre as novidades, destaque para os zagueiros: Antônio Carlos teve atuação segura, com direito a um inusitado corte de cabeça em uma bola rasteira, e Juninho, estreante, mostrou qualidade inclusive na saída de bola.

Os dois nada puderam fazer no lance do gol, construído em um contra-ataque fulminante após jogada de bola parada ofensiva do Verdão. Quando Rossi recebeu pela esquerda, quem estava posicionado como zagueiro era Tchê Tchê, que foi facilmente driblado. Prass defendeu o tiro cruzado do atacante – como já havia feito em cabeçadas de Arthur Caíke e do próprio Rossi anteriormente –, mas Luiz Antônio surgiu sozinho para conferir no rebote.

Durante o segundo tempo, Cuca apostou em Hyoran, Erik e no garoto Iacovelli, centroavante artilheiro do sub-20 que nunca havia jogado como profissional. Mas a verdade é que o Palmeiras não conseguiu criar em nenhum momento.

FICHA TÉCNICA
CHAPECOENSE 1 X 0 PALMEIRAS

Local: Arena Condá, em Chapecó (SC)
Data-Hora: 20/5/2017 - 19h (de Brasília)
Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO)
Auxiliares: Bruno Raphael Pires (Fifa-GO) e Leone Carvalho Rocha (GO)
Público/renda: 10.323 pessoas Renda: R$ 430.750,00
Cartões amarelos: Andrei Girotto (CHA); Willian (PAL)
Cartões vermelhos: -
Gol: Luiz Antônio 27' 2ºT (1-0)

CHAPECOENSE: Jandrei; Apodi, Luiz Otávio, Victor Ramos e Reinaldo; Andrei Girotto, Luiz Antônio e Seijas (Nenén 20' 2ºT); Rossi (Osman 44' 2ºT), Wellington Paulista (Túlio de Melo 37' 2ºT) e Arthur. Técnico: Vagner Mancini

PALMEIRAS: Fernando Prass; Fabiano, Antônio Carlos, Juninho e Michel Bastos; Thiago Santos; Tchê Tchê, Róger Guedes, Raphael Veiga (Hyoran 22' 2ºT) e Keno (Matheus Iacovelli 30' 2ºT); Willian (Erik 25' 2ºT). Técnico: Cuca