Fernando Santos e Pepe durante a coletiva desta terça-feira

Fernando Santos e Pepe  durante a coletiva  de Portugal,  no Estádio Lujniki, palco do duelo entre os patrícios e os marroquinos,  nesta quarta-feira, pelo Grupo B da Copa do Mundo  (Carlos Alberto Vieira)

Carlos Alberto Vieira
19/06/2018
14:41
Enviado especial a Moscou (RUS)

Coletiva de Portugal, com ou sem Cristiano Ronaldo presente, sempre tem como principal assunto o melhor do mundo. Na coletiva realizada nesta terça-feira, no Estádio Lujniki, em Moscou,  na véspera da partida contra Marrocos, pelo Grupo B da Copa do Mundo, não foi diferente.

Quando rolou a coletiva do treinador marroquino. cinco das onzes perguntas para Hervé Renard  foram sobre como parar CR7 ou sobre a importância do português. Nas entrevistas lusitanas, com o treinador Fernando Santos e o zagueiro brasileiro naturalizado português Pepe, o fato se repetiu. Metade dos questionamentos para o defensor foram sobre o companheiro. Para o comandante, um pouco menos, 30%

- Espero que este seja o Mundial do Ronaldo, pois se isso acontecer vai ser
muito bom para nós, não é mesmo? – disse Pepe, já sonhando com um título a reboque das atuações do jogador do Real Madrid. - O mais importante é Cristiano estar bem. Ele está feliz de estar com a gente e passa muita confiança a todos.  É um privilegio, para nós, termos um jogador como ele - concluiu.


O treinador Fernando Santos, escondendo a escalação e lembrando que foi ele quem passou a colocar CR7 mais centralizado no ataque - o que aumentou a sua capacidade de decisão -  tentava minimizar um pouco a Ronaldomania.
  
¬ Portugal foi campeão da Europa com Ronaldo de capitão e ele é muito importante. Mas isso aqui é futebol e não tênis. Não é esporte individual Nunca vi jogador ganhar alguma partida jogando sozinho. Logo, para ganhar de Marrocos e ir longe na Rússia, o que espero é que CR7 volte a fazer um grande jogo, em seu nível máximo, como vimos contra a Espanha, e que a equipe também jogue no melhor nível contra um rival que é forte e que nas Eliminatórias se classificou sem levar um gol sequer.