Richard McLaren, chefe da comissão antidoping da Wada

Richard McLaren apresentou resultados de nova parte de relatório sobre doping (Foto: ADRIAN DENNIS / AFP)

LANCE!
09/12/2016
14:36
Londres (ING)

A segunda parte de um relatório produzido por uma comissão da Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) divulgado nesta sexta-feira, em Londres, afirma que mais de mil atletas russos se beneficiaram do esquema de doping patrocinado pelo governo, entre 2011 e 2015. Os flagrados seriam de 30 esportes, de verão, inverno e paralímpicos.

As conclusões foram apresentadas pelo professor Richard McLaren, em uma continuação das investigações que levaram à suspensão da delegação da Rússia do atletismo dos Jogos Olímpicos Rio-2016, em agosto, bem como todo o país dos Jogos Paralímpicos.

Uma das novidades apresentadas pelo professor foi que até sal e café eram utilizados para manipular amostras de urina com substâncias ilícitas e, assim, enganar a Wada. Funcionários do laboratório de Moscou, atualmente descredenciado, trocavam amostras contaminadas por outras limpas. O esquema foi usado com eventos como o Mundial de Atletismo de 2013 e os Jogos de Inverno de Sochi 2014.

- Amostras de duas jogadoras de hóquei continham DNA masculino, e oito
amostras coletadas em Sochi relevaram quantidades de sal fisicamente impossíveis para um humano saudável - disse McLaren

O sistema de dopagem envolveu atletas, treinadores, médicos, a agência antidoping russa  (Rusada) e membros do governo. 

Em reação às novidades do relatório, o Comitê Olímpico Internacional (COI) anunciou que analisará novamente todas as amostras de urina de atletas russos coletadas nos Jogos de Londres-2012 e Sochi-2014.

A entidade testará 254 amostras do evento russo. As 63 amostras de sangue de esportistas do país coletadas durante a última edição das Olimpíadas de Inverno já passaram por reanálise recente, e todas deram resultado negativo.

O COI não informou o número de amostras de Londres que voltarão aos laboratórios. Até o momento, 11 russos foram punidos após a reanálise das amostras dos Jogos de 2012.

Ministério do Esporte nega fraudes

O Ministério de Esportes da Rússia negou após a divulgação do relatório a existência de um sistema de doping patrocinado pelo governo do país, mas informou que irá averiguar todas as denúncias de McLaren.

"O Ministério dos Esportes afirma, como toda responsabilidade, que não existe um programa estatal de promoção do doping no esporte e continuará a luta contra o doping, se posicionando pela tolerância zero", diz o governo.