Sasaki - Ginastica artística

Sasaki ficou com a nona colocação e fez história na ginástica artística brasileira (Foto: EMMANUEL DUNAND/AFP)

LANCE!
10/08/2016
21:34
Rio de Janeiro

Em 10 de agosto de 2015, Sérgio Sasaki, atleta da Equipe Furnas, passava por um momento de angústia: a segunda cirurgia da temporada. Após operar o joelho direito em janeiro, chegava a vez do ombro direito. Mesmo com a longa recuperação, o ginasta não desistiu de seu sonho: conquistar a vaga olímpica. Na base da superação, o atleta garantiu vaga na equipe brasileira e, em 10 de agosto de 2016, foi recompensado. Com a nona colocação no individual geral, Sasaki conquistou a melhor colocação do país na história da ginástica artística, superando em uma posição o resultado obtido em Londres 2012.

Na soma dos seis aparelhos, Sasaki terminou a competição com 89.198 pontos. Já Arthur Nory, outro representante do Brasil na final, ficou em 17º (87.331).

- O nono lugar é uma boa posição, mas o mais importante é que treinei muito e consegui dar 100%. Fiz exatamente o que treinei. Isso é o que me deixa mais feliz. A posição é uma coisa difícil de falar, pois não tenho o controle se me deram mais ou menos nota, e se os árbitros foram justos ou não. Ganhar uma posição é uma alegria enorme. A minha felicidade é maior que a do Oleg Verniaiev, da Ucrânia, que ficou em segundo lugar e poderia ter vencido. Felicidade não se mede.

A melhor nota de Sasaki foi obtida no salto. Ele foi o quarto atleta mais bem colocado entre os 24 participantes, somando 15.200 pontos. Seus outros resultados foram: cavalo com alças (14.766), argolas (14.433), paralelas (14.966), barra fixa (15.000) e solo (14.833).

Além de relembrar as dificuldades enfrentadas na temporada pré-olímpica, Sasaki confessou que as dores voltaram a incomodá-lo durante os Jogos:

- Desde o primeiro dia que estou sentindo o joelho. Não quis falar para ninguém porque não cabia no momento. Ia fazer um salto novo, acabei forçando um pouco mais. A dor foi aumentando a cada dia. Fico feliz por ter me superado.

A excelente campanha serve também de motivação para as metas que estão por vir:

- Sou novo e tenho vontade. Essa é a melhor coisa que uma pessoa pode ter. Meu sonho não acaba e quero continuar treinando, dando o meu máximo. Quero disputar os Jogos Olímpicos novamente, enquanto o meu corpo deixar. Não é uma lesão que vai me fazer desistir do meu sonho, que é me superar.

Arthur Nory, por sua vez, teve as seguintes pontuações: no cavalo com alças (13.400), nas argolas (14.133), salto (14.766), nas paralelas (14.633), na barra fixa (15.266) e no solo (15.133).

- Sabia que tinha total condições de disputar uma final olímpica. Vim muito focado na barra fixa, dificultei a série esse ano para disputar uma medalha. Hoje eu quis mostrar que esse é o meu aparelho, que ia buscar uma boa nota - disse Nory.