LANCE!
09/08/2017
08:10
Rio de Janeiro (RJ)

Desde as categorias de base do Santos, Neymar era tido como uma joia rara, cujo potencial o deixaria com o status de melhor do mundo. Hoje, aos 25 anos, destaque da Seleção Brasileira e principal figurinha do Paris Saint-Germain, o atacante já é considerado um dos principais em atividade.

Neymar pavimentou sua trajetória com muitos gols e títulos. Seja no Santos ou, posteriormente, no Barcelona, onde chegou em 2013, o craque acumulou passagens memoráveis. Na Espanha, fez história ao lado de Messi e Suárez, tanto que o poderoso ataque sul-americano foi batizado de trio MSN - autor de 228 gols em 110 partidas, desde 2014 em ação.

Contudo, o ciclo da tríada chegou ao fim nesta semana, quando o Barcelona anunciou que Neymar estava com o caminho livre para negociar com o PSG, que pagou a multa rescisória do astro - com valor na casa dos 222 milhões de euros (cerca de R$ 822 milhões).

Neymar - PSG
Neymar chegou ao PSG na última sexta (Foto: Thomas Samson / AFP)

O que se comenta na imprensa internacional, principalmente, é que Neymar deixou o Barcelona para ser protagonista no PSG, papel que não poderia exercer no Barça por conta do brilhantismo de Messi, camisa 10 e "dono" da equipe blaugrana.

Se Neymar renderá conforme o esperado no PSG, não se pode prever. O fato é que, caso esmerilhe nos gramados França afora e conduza o clube parisiense ao tão sonhado título da Liga dos Campeões, possivelmente levantará a almejada Bola de Ouro, o que o tornaria apenas o segundo jogador do futebol francês a atingir o feito.

VOCÊ LEMBRA DO PRIMEIRO? 

O ano era 1991. Na ocasião, o atacante Jean-Pierre Papin, então no Olympique de Marseille, teve a honra de levar a Bola de Ouro, quebrando um jejum desde sempre, ou seja, desde 1956 - ano do primeiro prêmio entregue.

Embora seja lembrado por fracassos no Milan e na seleção francesa, sobretudo em Copas do Mundo, Papin, hoje com 53 anos e diretor de futebol do Auxerre, brilhou no Olympique antes de chegar ao clube italiano como a maior transferência (10 milhões de dólares), à época. No maior vencedor da França, foi tetracampeão nacional.

Ainda pelo Marseille, Papin foi três vezes artilheiro da Copa dos Campeões, um número superado apenas por Messi e Gerd Müller, maior matador da Ligue 1 por cinco temporadas consecutivas, um recorde. Individualmente, o apogeu chegou mesmo em 91, quando foi reconhecido pelo Velho Continente e levou a Bola de Ouro com mais que o triplo de pontos de Lothar Matthäus, Dejan Savicevic e Darko Pancev, igualados no segundo posto.

Também conquistou a Copa da França no Marseille. Papin ainda venceu a Champions com a camisa do Milan, além de títulos nacionais. O Bayern de Munique é outro clube de peso no currículo do antigo centroavante, que, por conta de peculiares voleios, teve gols batizados de "papinadas.