Marcio Porto
17/04/2016
20:23
Osasco (SP)

No pioneirismo do técnico Fernando Diniz, muitas vezes motivo de chacota por quem tem sede de desqualificar trabalhos, o Osasco Audax impôs ao São Paulo uma dura e vexatória derrota. Neste domingo, em Osasco, a equipe da casa bailou e fez prevalecer seu futebol de toca de bola, fator que construiu a goleada por 4 a 1 e levou o time, pela primeira vez, à semifinal do Campeonato Pauilista. Veja a repercussão nos vestiários.


Toque pra lá, toque pra cá, não houve chances para os comandados de Edgardo Bauza. O argentino, dono de estilo pragmático ao extremo, repetiu praticamente a mesma formação que superou o River Plate (ARG), na quarta-feira, mas o resultado passou longe. O Tricolor foi envolvido com facilidade e, com postura incoerente com o jogo, contribuiu para o triunfo do futebol total de Diniz.

Os dois gols do Audax no primeiro tempo tiveram grande contribuição da defesa, seja erros de Lugano, duas vezes, de Rodrigo Caio, ou de Denis. Ytalo se aproveitou e fez o time da casa ir para o vestiário em vantagem, mesmo que Calleri tenha descontado. O atacante argentino, aliás, tem carregado o espírito que o São Paulo ora apresenta, ora não. Dos últimos nove gols do time, ele fez sete.

Esperava-se que o São Paulo voltasse elétrico para o segundo tempo, mas o balde de água fria veio logo aos cinco minutos, com o gol de Mike, após nova desatenção da defesa. Verdade é que a zaga do São Paulo parecia confusa diante do toque de pula apurado do Audax. A equipe vermelha não abre mão do estilo, mesmo que faça seu torcedor ver o jogo no limite, entre a confiança e o desespero.

O 3 a 1 nocauteou ainda mais o São Paulo, que já criava pouca e vivia um drama a cada escapada do adversário. Ficou nítida a impressão de que Diniz desenvolveu muito mais seu jogo do que Bauza. Vale lembrar que o estilo do primeiro é muito mais arriscado e inovador e, ao contrário de outras tantas vezes, inclusive contra o próprio São Paulo, agora recebe os louros. O ultimato veio com o gol de Juninho, novamente sozinho: 4 a 1.

Ao Tricolor fica uma campanha para esquecer no Campeonato Paulista, sem vencer um jogo sequer fora de casa. Na temporada, são 11 jogos como visitantes, quatro derrotas e sete empates. Péssimo, sobretudo porque na quinta-feira a equipe decide a vida na Libertadores em La Paz, contra o The Strongest (BOL).

Já o Audax deu uma aula de eficiência e desempenho, embora a insistência pelo estilo ainda seja confundida com irresponsabilidade, algo que sempre pode custar caro. No mais, só resta os parabéns! A equipe agora deve pegar o Corinthians, no domingo que vem, na Arena, a não ser que o Palmeiras se classifique nos pênaltis nesta segunda-feira, contra o São Bernardo. Neste caso, enfrentará o Santos.

FICHA TÉCNICA
OSASCO AUDAX 4 X 1 SÃO PAULO
Local: Estádio José Liberatti, Osasco (SP)
Data-Hora: 17/4/2016 - 18h30
Árbitro: José Claudio Rocha Filho
Auxiliares: Daniel Paulo Ziolli e Risser Jarussi Corrêa
Público/renda: 7.920 pagantes/R$ 327.050,00
Cartões amarelos: (AUD), Thiago Mendes e Alan Kardec (SAO)
Cartões vermelhos: -
Gols: Ytalo (26'/1ºT) (1-0), Calleri (34'/1ºT) (1-1), Ytalo (41'/1ºT) (2-1), Mike (5'/2ºT) (3-1), Juninho (24'/2ºT)

OSASCO AUDAX: Sidão; Yuri, André Castro, Bruno Silva (Brunno Lima, aos 34'/2ºT) e Velicka; Danilo Tchê Tchê (Brunno Lima, aos 41'/2ºT), Camacho (Maurício, aos 43'/2ºT) e Juninho; Mike, Bruno Paulo e Ytalo. Técnico: Fernando Diniz.

SÃO PAULO: Denis; Bruno, Lugano, Rodrigo Caio e Mena; Hudson (Wesley, aos 26'/2ºT), Thiago Mendes, Hudson, Kelvin (Centurión, aos 17'/2ºT), Michel Bastos (Alan Kardec, aos 17'/2ºT) e Ganso; Calleri. Técnico: Edgardo Bauza.