Presidente em Exercício Michel Temer durante audiência concedida à Thomas Bach (Foto: Beto Barata/PR)

Presidente em exercício Michel Temer (cumprimentando o presidente do COI Thomas Bach), para evitar vaias, resolveu não comparecer na cerimônia de encerramento (Foto: Beto Barata/PR)

CARLOS ALBERTO VIEIRA
16/08/2016
14:48
Rio de Janeiro (RJ)

A Rio-2016 está com uma saia justa. A imprensa japonesa não se conforma com o fato de, restando cinco dias para o fim dos Jogos Olímpicos, o presidente interino Michel Temer ter decidido não ir à cerimônia de encerramento, quando pelo protocolo transmitiria para o primeiro ministro do Japão Shinzo Abe a passagem simbólica das Olimpíadas do Rio para Tóquio, a sede dos próximos Jogos, em 2020.

Sem Temer - que não estará no Maracanã por recear ser vaiado pelo público, pois a votação do impeachment de Dilma Rousseff está próxima - quem deverá ser substituí-lo é o presidente da câmara Rodrigo Maia, embora a Rio-2016 ainda não divulgue de forma oficial.

- Ainda não recebemos a confirmação oficial da presidência e quem ela avalia que poderá seguir o protocolo - disse Mário Andrada, da Rio-2016.

Mas  Michel Temer deverá se encontrar com Shinzo Abe no Rio. O presidente interino pediu ao seu staff uma reunião com o japonês - e também com a prefeita de Tóquio, Yuriko Koike - para falar de negócios  e fazer uma visita de cortesia. Mas bem longe dos olhos (e das vaias) dos torcedores.