Guilherme Cardoso
16/08/2016
09:12
Rio de Janeiro (RJ)

Isaquias Queiroz. Guarde bem este nome. Ainda mais se você é um aficionado por esporte. Tudo porque, a partir da manhã desta terça-feira, um canoísta brasileiro com este nome entrou para a história ao conquistar a primeira medalha na canoagem velocidade para o país em Jogos Olímpicos. O feito veio com a prata obtida na prova C1 1.000m, no Rio de Janeiro, no Estádio da Lagoa.

A conquista em uma modalidade não muito difundida no Brasil não chega a ser uma surpresa. Ainda mais pelos feitos de Isaquias, de apenas 22 anos, nas temporadas mais recentes. Uma das principais revelações do esporte brasileiro nos últimos anos, ele já tinha em seu currículo títulos nos Jogos Pan-Americanos de Toronto (CAN), em 2015, Campeonato Pan-Americano, além de boas colocações em algumas etapas de Copa do Mundo da modalidade.

O sol forte na manhã carioca já indicava o caminho para o brasileiro brilhar nas águas da Lagoa Rodrigo de Freitas. Um dos principais cartões da cidade não poderia ser um melhor cenário para o jovem de 22 fazer história. E nem mesmo a presença do alemão Sebastian Brendel chegou a causa preocupação durante a disputa. O confronto com o atual campeão olímpico foi acirrado desde o início. Mas o já medalhista levou a melhor e faturou o bicampeonato, com o tempo de 3m56s926. Isaquias veio logo atrás com 3m58s529. Já o bronze acabou com Serghei Tarnovschi, da Moldávia, com 4m00s852.


Com a mesma naturalidade com a qual costuma postar fotos nas redes sociais em festas, com amigos, com a família, Isaquias remou nas águas cariocas. Com certeza, encheu de orgulho os familiares de sua pequena cidade natal, Ubaitava, na Bahia, e também aqueles que compareceram na arquibancada.
E olha que o canoísta sonha ainda mais alto nos Jogos do Rio de Janeiro. A medalha em sua primeira prova olímpica é apenas o início de sua participação. Isaquias tem pela frente o C1 200m, na quarta (17), e o C2 1.000, na sexta (19), no qual faz parceria com Erlon de Souza.

Se conquistar uma medalha em sua estreia olímpica já é histórico, imagine, então, faturar três. E ainda na canoagem de velocidade. Seria espetacular!