LANCE!
05/08/2016
18:31
Rio de Janeiro (RJ)

Uma Olimpíada para a história do Brasil e do mundo. Os Jogos Rio-2016 começam hoje com diversos marcos para o esporte. A competição marcará a despedida de dois dos maiores astros que já disputaram as Olimpíadas, Michael Phelps e Usain Bolt. Mas o evento não se resumirá a isso. Alguns fatos inéditos e outras características fazem da Rio-2016 uma competição que deverá marcar uma época. Com base nisso, o LANCE! lista as 16 coisas que só a Rio-2016 terá, em relação a outras edições dos Jogos. Confira!

1) Pela primeira vez, os Jogos Olímpicos serão disputados na América do Sul. Antes, o evento já havia passado por Europa, Ásia, Oceania e América do Norte. A África e a América Central ainda aguardam para estrearem como continentes-sede da Olimpíada.

Michael Phelps
Michael Phelps dará adeus aos Jogos Olímpicos (Foto: Divulgação)

2) A Rio-2016 marcará a despedida de dois astros do esporte mundial. Michael Phelps e Usain Bolt já anunciaram que disputarão na Cidade Maravilhosa a última Olimpíada de suas carreiras. Phelps é o atual recordista de medalhas nos Jogos, com 22. E Bolt tornou-se a lenda do atletismo, com suas medalhas de ouro, recordes mundiais e carisma nas pistas.

Prefeitura entrega campo de golfe dos jogos olímpicos Rio 2016
O campo de golfe da Rio-2016, na Barra (Foto: Divulgação/Tânia Rêgo)

3) O programa de competições da Rio-2016 terá duas novidades. O rúgbi e o golfe voltam a fazer parte das Olimpíadas. O rúgbi não era disputado nos Jogos Olímpicos desde a edição de Paris-1924. A ausência do golfe era ainda maior: desde Saint Louis-1904.

4) Antes dos Jogos Olímpicos Rio-2016 começarem, o zika vírus roubou a cena. Muitos atletas, principalmente do golfe e do tênis, anunciaram que não disputariam o evento para não serem contaminados. Nomes como Rory McIlroy, do golfe, e os irmãos americanos Bob e Mike Bryan, do tênis, estavam entre eles.

Lebron James
LeBron James optou por não competir na Rio-2016 (Foto: AFP)

5) Falando em ausências, os Jogos Rio-2016 perderam um pouco de seu brilho com os desfalques de grandes nomes do esporte, seja por lesões, medo do zika vírus, doping, descanso e até mesmo a falha em se classificar. São os casos, respectivamente, do tenista suíço Roger Federer, do golfista australiano Adam Scott, da tenista russa Maria Sharapova, do jogador de basquete americano LeBron James e do nadador brasileiro Cesar Cielo.

6) A Olimpíada brasileira também ficará marcada pelo grande escândalo de doping envolvendo a Rússia. O país teve parte de seus atletas barrados de competirem nos Jogos, por denúncias de envolvimento do governo local em um esquema de fraude de exames e incentivo de autoridades na utilização de substâncias proibidas. O país deve ter mais de cem atletas banidos dos Jogos.

7) O Comitê Olímpico Internacional (COI) promoveu algo inédito nos Jogos Olímpicos, com a criação de uma equipe de atletas refugiados de países em guerra. Serão dez competidores de nações como Síria, Congo, Etiópia, entre outros.

8) Pela primeira vez em uma Olimpíada, o Brasil tentará ficar no top 10 do quadro de medalhas. Esta é a meta do Comitê Olímpico do Brasil (COB) para os Jogos Rio-2016. Investimentos maciços foram feitos em cima dos atletas na busca pelo resultado inédito.

9) Os Jogos Olímpicos Rio-2016 acontecerão em meio a uma crise política e econômica no Brasil. E isto terá um grande reflexo no evento. Na cerimônia de abertura, é tradição que o presidente do país-sede faça um discurso. No Rio de Janeiro, isto ficará a cargo do presidente interino Michel Temer - algo incomum em comparação com outras Olimpíadas.

10) Um dos atrativos dos Jogos Olímpicos Rio-2016 certamente será o cenário da cidade. Ícones como o Cristo Redentor, Pão de Açúcar e as belas praias cariocas devem fazer do evento um dos mais bonitos da história.

11) A Olimpíada brasileira será uma das maiores em termos de número de competidores. A lista possui 11.385 atletas de 206 países. Outras duas equipes farão parte dos Jogos. O time de refugiados, e a equipe de atletas independentes, formada por nove atletas do Kuwait (o país está suspenso pelo COI). Ambas competirão sob a bandeira do comitê internacional.

12) Outro fato inédito na história dos Jogos e que acontecerá na Rio-2016 é o fato de que a pira ficará fora do estádio que recebe a cerimônia de abertura. A chama será abrigada na Zona Portuária do Rio. Na história do evento, o comum era a pira ser acesa dentro do Estádio Olímpico, e lá permanecer.

13) A Olimpíada do Rio certamente ficará entre as cinco mais caras da história. O orçamento atual para a organização dos Jogos é de R$ 39,07 bilhões, mas estima-se que o valor já teria ultrapassado os R$ 40 bilhões.

14) A Rio-2016 também será a primeira Olimpíada de Verão sob o comando do alemão Thomas Bach. O atual presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI) foi eleito para o cargo em setembro de 2013, um ano após os Jogos de Londres-2012.

Paulo Orlando faz história e se torna o primeiro brasileiro campeão no beisebol (Foto: Getty Images/AFP)
Beisebol voltou ao programa olímpico no Rio (Foto: AFP)

15) A prévia dos Jogos Rio-2016 também marcou outro fato histórico. Em reunião do COI na cidade maravilhosa, foi definida a entrada de cinco novas modalidades nos Jogos de Tóquio-2020. Serão elas o surfe, skate, beisebol/softbol, escalada e caratê.

16) Em termos comportamentais, a Rio-2016 será mais do que nunca a Olimpíada das redes sociais. Ferramentas como o Facebook, Twitter, Instagram e Snapchat, entre outras, serão utilizadas de forma maciça por atletas e torcedores para compartilhar imagens e informações dos Jogos Olímpicos para o mundo.