LANCE!
19/08/2016
16:04
São Paulo (SP)

Chegou ao fim o ciclo de Formiga, uma das mais importantes jogadoras da Seleção feminina de futebol, com a Amarelinha. Após a derrota de 2 a 1 para o Canadá nesta sexta-feira, na Arena Corinthians, e a perda da medalha de bronze na Rio-2016, a volante confirmou a aposentadoria da Seleção. Aos 38 anos, ela é a única jogadora do mundo a atuar em todas as edições de Olimpíadas na modalidade, presente desde 1996, em Atlanta. Despede-se com duas pratas, em Atenas-2004 e Pequim-2008. Marta deixou dúvidas no ar...

- É, né? (Chorando). Só tenho que agradecer aos brasileiros por essa força, por essa torcida. Por tudo que a gente passou, a gente conquistou... Não é o que a gente queria, todo mundo sabe - disse Formiga, à TV Globo, logo após a perda da medalha de bronze.

A jogadora falou dos planos para o futuro.

- Quero fazer um curso para ser treinadora - afirmou.

Enquanto Formiga confirmou o adeus, a estrela Marta deixou a questão aberta. Perguntada se seria sua última edição de Olimpíada, a camisa 10 da Seleção falou?

- Ah, não sei. Só o tempo dirá - afirmou a vencedora de cinco Bolas de Ouro da Fifa.

- Ganhamos vários fãs na Olimpíada, enchemos os estádios. Isso é o maior prêmio. Lógico que queríamos o pódio, mas ser aplaudida em todo lugar, isso que vamos levar. Peço ao povo brasileiro, não deixe de apoiar o futebol feminino! A gente precisa de vocês. Tentamos melhorar a modalidade, conseguimos encher estádio... - disse Marta, que não conseguiu segurar as lágrimas.

Marta falou em cera das canadenses ao analisar a partida. Ela também respondeu de maneira ríspida ao ser perguntado sobre a interferência das questões táticas no resultado obtido pela seleção.

- Não começamos tão bem. Melhoramos depois que tomamos o gol. Infelizmente numa bobeada tomamos mais um, em um contra-ataque, e ficou difícil. Com o estádio lotado, nem conseguimos nos comunicar direito. Absurdo um jogo desses parado, goleira ficar com a bola dois minutos, as jogadoras do Canadá sofriam a falta e ficavam caídas e só ter três minutos de acréscimos. Mas temos que saber lidar e seguir o nosso pensamento de melhorar a modalidade - disse Marta, na zona mista.

O Brasil segue com duas medalhas olímpicas na modalidade, as pratas conquistadas também por Formiga, em Atenas e Pequim.