Judô

Judô brasileiro para a Olimpíada foi apresentado no Aeroporto Santos Dumont, no Rio (Foto: Daniel Zappe/MPIX/CBJ)

Jonas Moura
02/06/2016
14:31
Rio de Janeiro (RJ)

A Seleção Brasileira de judô que disputará os Jogos Olímpicos do Rio, em agosto, foi apresentada nesta quinta-feira, em evento no saguão do Aeroporto Santos Dumont, na capital fluminense. Em discurso, o gestor de alto rendimento da Confederação Brasileira de Judô (CBJ), Ney Wilson, fez questão de enfatizar o critério adotado pela entidade na convocação dos nomes.

Foi a primeira aparição dos atletas após o anúncio oficial do time, feito um dia antes pela CBJ nas redes sociais. Antes de qualquer pergunta dos jornalistas, Wilson entrou no assunto, já que a escolha por Felipe Kitadai (60kg), bronze em Londres (ING), em 2012, levou mais em conta o histórico do atleta
do que o ranking mundial (ele está em 14º).  

Com isso, Erik Takabatake, em 13º, acabou preterido. No entanto, a diferença de pontos entre os judocas na classificação é pequena (1.252 contra 1.231). 

– É importante destacar que todas as vagas brasileiras foram conquistadas em cima do tatame. Não fizemos nenhum convite. Houve uma integração entre o trabalho da equipe de base e a principal para que chegássemos à lista final que nós apresentamos agora – afirmou o dirigente.

Em Londres, o Brasil conquistou quatro medalhas no judô, sendo uma de ouro e três de bronze. Desta vez, o objetivo é superar a marca. Isso será alcançado tanto em um hipotético cenário em que o país fature somente um ouro e uma prata (o que seria um avanço em termos de qualidade) ou se a equipe terminar a competição com cinco bronzes (haveria aumento de quantidade).

– Nossa meta é sempre a evolução – resumiu Wilson.

O presidente da CBJ, Paulo Wanderley Teixeira, assegurou aos jornalistas que a modalidade manterá em agosto a tradição de trazer medalhas ao Brasil. Ela é a que mais rendeu pódios para o país no megaevento até hoje. Foram 19.

- Posso afirmar: essa será a nona olimpíada consecutiva que o judô brasileiro subirá ao pódio – declarou Wanderley.

As sete convocadas do Brasil foram Sarah Menezes (48kg), Érika Miranda (52kg), Rafaela Silva (57kg), Mariana Silva (63kg), Maria Portela (70kg), Mayra Aguiar (78kg) e Maria Suelen Altheman (+78kg).

Já entre os homens, a lista tem Felipe Kitadai (60kg), Charles Chibana (66kg), Alex Pombo (73kg), Victor Penalber (81kg), Tiago Camilo (90kg), Rafael Buzacarini (100kg) e Rafael Silva (+100kg).

A Seleção tem pela frente um período de treinamentos de campo no Brasil e na Europa. A equipe masculina se reunirá em Pindamonhangaba (SP), de 12 a 16 de junho, enquanto a feminina realizará um camping internacional em Perpignan (FRA), no período entre 10 e 18 de junho.