LANCE!
11/09/2016
14:30
São Paulo (SP)

O atletismo brasileiro teve uma manhã inesquecível no quarto dia dos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro. No Estádio Olímpico, o Engenhão, Petrúcio Ferreira colocou de vez o seu nome na história da modalidade, conquistando a medalha de ouro nos 100m rasos (classe T47) e, de quebra, batendo seu próprio recorde mundial. Se não bastasse, Yohansson Nascimento também subiu ao pódio ao lado do companheiro, com a terceira colocação.

Na largada para a prova, parecia que o polonês Michal Derus frustraria os planos brasileiros de subir ao ponto mais alto do pódio. Até o momento em que Petrúcio e Yohansson passaram a perseguir o adversário. O primeiro o ultrapassou e, na sequência, abriu vantagem. O segundo, ficou perto de também chegar à frente. Inclusive, mais perto, impossível.

Petrúcio terminou a prova com o tempo de 10s67, ou seja, 0s10 melhor que o recorde mundial, que já o pertencia e havia sido obtido na semifinal no Rio de Janeiro. Derus, por sua vez, terminou na segunda colocação, com 10s79, empatado com Yohansson, que ficou em terceiro no photo finish. Que final!

- Ouvir o hino nacional no topo do pódio me fez lembrar de dias em que eu voltava para casa e não conseguia nem tomar banho, de tão cansado. Trabalhei muito duro por essa medalha, nossa medalha brasileira - comentou Petrucio, de apenas 19 anos, que ainda pode conquistar o ouro no revezamento 4x100m.

- Eu e Yohansson iremos correr juntos na final do revezamento 4x100m amanhã. Aliás, mesmo sendo uma prova individual, nós também corremos juntos hoje - completou, com discurso semelhante ao do compatriota:

- Essas medalhas são do povo brasileiro. Estou muito feliz porque meu amigo, dentro e fora da pista, levou o ouro. Amanhã corremos o revezamento juntos. Acho que esse é o time mais forte da história do país - disse o medalhista de bronze.

Ainda nesta manhã, Mateus Evangelista terminou em quarto lugar na decisão dos 100m rasos (T37), enquanto Odair Santos e Fábio Bordignon avançaram às decisões dos 1.500m (T11) e 200m rasos (T35), respectivamente, em segundo.

Daniel Dias
Natação brasileira dá show no Rio (Foto: Washington Alves/MPIX/CPB)

Natação marca presença em seis decisões no Rio

A natação brasileira tem motivos de sobra para comemorar a participação nos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro. Nesta manhã, cinco nadadores do país conquistaram vagas em decisões no evento, e juntam-se à Daniel Dias nas competições dessa noite no Estádio Aquático.

Roberto Alcalde e Adriano de Lima irão brigar por medalhas nos 100m peito (SB5), sendo que o primeiro avançou como o segundo melhor do dia. Na mesma prova, mas na classe SB13, Guilherme Batista Silva também tenta subir ao pódio. 

Nas provas de nado livre, com distância de 200m, o representante brasileiro na final da categoria S14 será Felipe Vila Real, enquanto Cecília Jerônimo de Araújo disputa uma medalha nos 100m (S8). Todos eles se juntam a Daniel Dias, que briga pelo ouro nos 100m peito (SB4).

Susana Schnarndorf (100m peito/SB5), Lucas Mozela (200m medley/SM9), Raquel Viel (100m peito/SB13), Beatriz Carneiro (200m livre/S14) e Caio Amorim (100m livre/S8) ficaram pelo caminho nas eliminatórias.

Bruna Costa (Foto: Alexandre Urch/MPIX/CPB)
Bruna Costa caiu na semifinal (Foto: Alexandre Urch/MPIX/CPB)

Tênis de mesa do Brasil garante vaga em duas finais e ainda briga por bronze

O Brasil terá a chance de brigar por três medalhas no tênis de mesa nos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro. Na manhã deste domingo, o brasileiro Israel Stroh fez história e garantiu uma vaga na decisão da modalidade, na classe 7.

O mesa-tenista venceu o chinês Shuo Yan por 3 sets a 2 (11-7, 5-11, 11-8, 5-11 e 11-9) e, dessa forma, garantiu no mínimo uma medalha de prata para o Brasil na modalidade.

Já Danielle Rauen não conseguiu passar pela forte atleta chinesa Lina Lei na classe 9, e caiu por 3 sets a 0 (11-1, 11-5 e 11-9), enquanto Bruna Alexandre Costa perdeu para a polonesa Natalia Partyka por 3 a 2 (8-11, 12-10, 9-11, 11-1 e 11-8). Mesmo assim, as brasileiras vão brigar pelo bronze.

Bocha - esq/direita, Marcelo Santos, a técnica Janaina Petasso, Dirceu Pinto e Eliseu Santos (Foto: Marcelo Regua/MPIX/CPB)
Bocha - Da esq. à direita, Marcelo Santos, a técnica Janaina Petasso, Dirceu Pinto e Eliseu Santos (Foto: Marcelo Regua/MPIX/CPB)

Esportes coletivos passam de fase no Rio de Janeiro

Se nas modalidades individuais o Brasil chamou a atenção neste domingo, nos esportes coletivos, o país não ficou atrás. Na bocha, a manhã foi de disputas mistas, com três times brasileiros em busca de vagas. Dois deles passaram direto para a semifinal.

Nos pares mistos BC4, o país venceu a China por 5 a 4 no desempate e encara a Grã-Bretanha na semifinal, que acontece ainda neste domingo, às 15h40. Já na classe BC3, o time caiu diante da Coreia do Sul por 4 a 1, mas passou para a semi contra Cingapura, às 17h.

O único time que caiu foi o misto BC1-2, que perdeu para Portugal nas quartas de final, por 6 a 5, e deu adeus à disputa dos Jogos.

No goalball, o dia também foi de comemoração, com a garantia da vaga nas quartas de final no masculino, após a Seleção derrotar a Argélia por 12 a 2. O mesmo aconteceu no tiro com arco, com o time brasileiro passando pela Coreia do Sul por 5 a 1 e, dessa forma, avançando às quartas, que acontecem neste domingo, às 15h, contra a Itália.