Parque Olímpico da Barra durante a Paralimpiada.

Parque Olímpico da Barra durante a Paralimpíada (Foto: André Motta / Brasil2016.gov.br)

LANCE!
30/09/2016
17:16
Rio de Janeiro

A imagem do Brasil para a imprensa estrangeira melhorou após os Jogos Olímpicos Rio 2016, segundo pesquisa divulgada na última quinta-feira pelo Ministério do Turismo. Entre os profissionais que vieram ao país para cobrir o megaevento, 59,7% afirmaram que suas próximas matérias sobre o Brasil deverão ser positivas, crescimento de 62% em relação ao percentual entes dos Jogos, de 36,8%.

O turismo e a cultura nacional deverão ser os temas responsáveis pela maior quantidade de matérias positivas nas futuras reportagens - 29% cada. Antes da Rio 2016, as matérias sobre o Brasil com teor negativo eram relacionadas, na maioria dos casos, à política (56%) e à violência (40%). Já as positivas destacavam o turismo (28,6%) e a cultura (23,8%).

De acordo com o levantamento, 90,5% dos entrevistados disseram que a viagem atendeu ou superou as expectativas, o que fez com que 89,6% deles afirmassem que recomendariam o Brasil para a próxima viagem de amigos, família ou público em geral.

- Ter resultados tão positivos junto a esse público formador de opinião é importante. Por características típicas da profissão, os jornalistas são mais críticos e exigentes. Conseguimos mostrar que o Brasil está preparado e que podemos sediar grandes eventos e receber os turistas da melhor maneira - afirmou o ministro interino do Turismo, Alberto Alves.

Foram entrevistados 435 profissionais, com idade média de 43 anos. A maior parte dos profissionais de imprensa entrevistados residem nos Estados Unidos (7,4%), seguido por China (5,5%), Alemanha (5,3%), Colômbia (5,1%) e Argentina (5,1%).

Infraestrutura

Em relação à infraestrutura, as melhores avaliações ficaram com os aeroportos (94,2%), seguido de disponibilidade de voos no Brasil (88,8%) e serviços de táxi (86,1%). Já no quesito serviços, os atrativos turísticos atingiram a marca de 99,1%, seguido pela obtenção de vistos para entrada no País (96,3%) e diversão noturna (95,5%).

O governo federal isentou a necessidade de vistos para turistas americanos, japoneses, australianos e canadenses no período de 1º de junho a 18 de setembro. A definição dos países levou em conta fatores como elevado fluxo emissivo ao Brasil, gastos dos visitantes no País e baixo risco migratório e de segurança.

Quando o assunto é preço, os serviços com melhor avaliação foram transporte público (84,2%), atrativos turísticos (82,4%) e telefonia e internet (78,1%). Na lista de principais emissores ao Brasil temos os Estados Unidos (12,9%), seguido da China (7,4%) e Alemanha (5,5%).