O nadador paralímpico Clodoaldo Silva participou da reunião em São Paulo

Clodoaldo Silva participou da reunião em São Paulo (Foto: Clóvis Fabiano / Atletas pelo Brasil)

LANCE!
28/09/2016
19:05
Rio de Janeiro

O encerramento do ciclo olímpico e o final da década dos mega eventos esportivos chegam trazendo grandes desafios para manter o esporte na agenda do Brasil. Foi pensando nisso que a Atletas pelo Brasil reuniu atletas associados, atletas convidados, conselheiros e membros de sua diretoria para discutir os avanços e desafios do esporte para os próximos anos.

O encontro foi realizado no Audi Lounge, em São Paulo (SP), e teve a participação de nomes de destaque do esporte no País, como Ana Moser, Raí, Clodoaldo Silva, Gustavo Borges, Carmen de Oliveira, Luisa Parente, Nelson Aerts, Patrícia Medrado, Lars Grael, Paulo André, Pipoka, Ricardo Vidal, Roberto Lazzarini, Emanuel Rego, Leila, Marcel, Ronaldo Costa e Virna, entre outros.

Estiveram presentes, também, parceiros estratégicos da Atletas pelo Brasil: Marcos Joaquim, sócio do escritório Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados, responsável pela assessoria jurídica da organização, e Paulo Kakinoff, presidente da Gol Linhas Aéreas e membro do Conselho Consultivo da Atletas pelo Brasil. A Gol apoiou a realização do evento.

A reunião teve como objetivos levantar quais os principais pontos para melhoria do esporte no Brasil e definir as ações estratégicas da Atletas pelo Brasil nos próximos anos.

Qual o legado dos Jogos Olímpicos? O acesso ao esporte pela população? O futuro do esporte nas escolas? As melhorias do esporte de alto rendimento?

- Nós temos um desafio do tamanho do País para que o esporte ganhe escala e tenha representatividade. Precisamos de um sistema que lide com as nuances e com as realidades das diferentes regiões. É no sistema que vamos definir algo fundamental para o funcionamento e a divisão de responsabilidades: o financiamento - afirmou Ana Moser, presidente da Atletas pelo Brasil.

Os participantes discutiram alguns dos desafios a serem enfrentados pelo esporte no País, como a redução dos investimentos privados; a ausência de um Sistema Nacional do Esporte definindo responsabilidades, regras de financiamento; os desafios do cenário político atual; e a melhoria da gestão das entidades esportivas.

A proposta de retirada da Educação Física das disciplinas obrigatórias para o ensino médio (alterando a Lei de Diretrizes Básicas da Educação), assunto muito repercutido nos últimos dias, assim como a falta de políticas públicas capazes de tornar o esporte acessível a todos os brasileiros, também estiveram na pauta.

- Se o Brasil quer ser potência, seja no esporte ou em outras áreas, precisamos melhorar a qualidade do ensino. Precisamos falar da necessidade da valorização do esporte educacional, do esporte escolar. De valorização da Educação Física, nunca de supressão - destacou o velejador Lars Grael, associado da Atletas pelo Brasil.

Foram comentados dados como o cancelamento do edital de R$ 150 milhões para investimento nas entidades esportivas, que ocorreu em junho, assim como o anúncio da proposta orçamentária do Governo Federal, que apresentou o orçamento do Ministério do Esporte com redução de 55% das verbas para o esporte de rendimento e 49% para os programas de esporte comunitário.