Bruno Cassucci
20/12/2016
06:50
São Paulo (SP)

Um ano depois, o futebol chinês volta a atormentar o Corinthians. Responsável por contratar os principais jogadores da equipe em 2015, o mercado asiático agora ameaça levar Rodriguinho, um dos poucos destaques do Timão em 2016. O jogador interessa a equipes do país, que já fizeram sondagens por ele - ao menos uma delas prepara uma proposta pelo atleta nos próximos dias.

A diretoria alvinegra foi avisada das negociações e não descartou ouvir os chineses. Contudo, a ideia inicial do clube é manter Rodriguinho pelo menos até o meio de 2017, quando acredita que terá ofertas mais vantajosas. Para isso, o Timão está disposto a valorizar o jogador.

O meia tem contrato com o Corinthians até o fim do ano que vem. Além de oferecer um aumento salarial a ele, o clube pensa em comprar parte dos direitos econômicos do atleta que pertencem ao Capivariano. Administrado por investidores, o clube do interior paulista detém 40% de Rodriguinho, enquanto o Timão tem 50%, e o América-MG, ex-equipe dele, tem 10%.

Nas últimas semanas as partes já vinham tratando sobre o futuro do meia, mas o interesse chinês muda um pouco o panorama das tratativas. Rodriguinho sabe que o Corinthians dificilmente cobrirá uma oferta asiática, mas está disposto a ganhar menos e permanecer no Brasil. Ele acredita que pode ser alvo de times da Europa ou receber propostas mais interessantes na janela de transferências do meio do ano.

Clubes dos Emirados Árabes Unidos sondaram o camisa 26 do Timão recentemente, mas ele não tem interesse em voltar a jogar lá. Rodriguinho também foi procurado por equipes da Turquia, mas não recebeu nada oficial.

Além da questão técnica, a diretoria corintiana valoriza a liderança do jogador perante os demais. Aos 28 anos, ele é um dos mais experientes e comunicativos do elenco atual, além de estar adaptado ao clube.

No total, o meia fez 80 jogos e 13 gols com a camisa alvinegra.