França x Croácia

A comemoração da França depois do título da Copa do Mundo (Foto: AFP)

Bernardo Cruz, Carlos Alberto Vieira e Marcio Porto
15/07/2018
18:22
Em Moscou (RUS)

A festa dos jogadores da França após a conquista da Copa do Mundo na Rússia se estendeu por horas depois da partida. Na zona mista, área em que os atletas atendem os jornalistas, a farra foi grande. O volante Pogba, por exemplo, deu show esbanjando seu carisma, com direito a entrada apoteótica. Não faltaram bebidas e música. 

Pogba entrou na parte em que a imprensa fica à espera gritando: "Estou muito louco! Estou muito louco! Vou dançar a noite inteira!". Ele praticamente pulou sobre os jornalistas quando chegou ao local e anunciou o que viria pela frente. A cada entrevista, repetia que dançaria a noite toda para comemorar o título. O camisa 6, autor de um dos quatro gols da França contra a Croácia, atendeu praticamente a todos pacientemente, seja em francês, inglês ou espanhol. Mas no meio de cada resposta, dizia: "Estou louco!", com seu sorriso característico.

Outras cenas chamaram a atenção, depois de o grupo dar um banho no técnico Didier Deschamps na entrevista coletiva. Após umas três horas do término da final, o zagueiro Umtiti passou com o lateral-esquerdo Mendy ouvindo música em uma caixa de som e cantando: "Allez le Bleus". Eles preferiram festejar a falar com os jornalistas. 

O zagueiro Varane foi o encarregado de transportar a tão desejada taça de campeão. Ele carregava ela como a um bebê. Parecia ninar o troféu mais desejado do planeta. Era só sorrisos. 

Griezmann, autor de um gol e escolhido melhor jogador da final, nem disfarçou a bebedeira que rolou no vestiário. Saiu para as entrevistas com duas garrafas de cerveja nas mãos. Entre uma pergunta e outra, dava um gole na bebida, fornecida por um dos patrocinadores da Copa. Cheers! 

A conquista da Copa marca o bicampeonato francês depois de 20 anos do primeiro título. A geração de Pogba, Griezmann e Mbappé, esse mais contido na zona mista, iguala à de Deschamps, atual treinador, e Zidane, campeões em 1998. Haja motivo para comemorar!