Bernardo Cruz e Igor Siqueira
18/08/2016
19:02
Rio de Janeiro (RJ)

Ele tem cinco medalhas olímpicas, sendo duas de ouro. Mas saborear o sentimento de ver a filha ser campeã da edição dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro foi um gosto totalmente diferente para o experiente Torben Grael. O sorriso estampado no rosto após a vitória de Martine Grael e Kahena Kunze pode ser visto à distância. 

- É muito diferente. No lado de fora, você se emociona muito mais. Isso aflora muito mais. Não pode fazer nada, só torcer - contou Torben, que foi coordenador técnico da equipe brasileira de vela e pôde estar bem próximo às duas na campanha olímpica.

Dicas? Mais conversa entre profissionais do ramo do que tudo.

- Conversamos bastante. Elas treinaram para isso. Conversamos sobre o vento, condições da Baía. Elas treinaram bem, relaxaram bastante e isso foi determinante - explicou Torben, que ainda analisou a regata feita pelas meninas campeãs:

- A pressão era imensa. A pressão do nome, de competir em casa, última classe a ir para água, únicas que ao final poderiam fazer a medalha, podendo ficar em quarto. Tudo decidido em uma regata só. Mas elas se saíram magnificamente - completou Torben Grael.

Martine Grael e Kahena Kunze venceram a regata da medalha e ficaram com o ouro, deixando com a prata a dupla da Nova Zelândia e com o bronze a dupla dinamarquesa.