Marta é a principal jogadora da Seleção feminina (Foto: Ricardo Stuckert/ CBF)

Marta é a principal jogadora da Seleção feminina (Foto: Ricardo Stuckert/ CBF)

Igor Siqueira
03/08/2016
09:00
Rio de Janeiro (RJ)

O holofote estará nelas. Todas as atenções serão destinadas ao Estádio Nilton Santos, que será - na prática - palco da abertura dos Jogos Olímpicos Rio-2016. Não vai ter cerimônia ou pirotecnia. Vai ter futebol. Vai ter Seleção feminina em campo contra a China, fechando a rodada dupla desta quarta-feira no Engenhão.

Logo depois do confronto entre Suécia e África do Sul, com caráter de preliminar, o evento principal será o desfile de Marta e Cia pelo gramado do Rio de Janeiro. Sim, um reencontro depois de nove anos de ausência.

- Sabemos da grande responsabilidade que temos, porque ninguém estará competindo nesse dia. Pelo futebol feminino foi premiado em estar só a seleção feminina nesse dia, vai ser um momento de muita divulgação. A expectativa é grande - afirmou o técnico Vadão.

As meninas do futebol vão matar a saudade depois de passarem quase uma década sem disputarem uma partida sequer na atual cidade olímpica. A última lembrança? Não poderia ser melhor e mais animadora: goleada por 5 a 0 sobre os Estados Unidos e medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de 2007.

Mas ao mesmo tempo, o reencontro com a torcida carioca pode trazer uma ansiedade incômoda. E o Vadão já está preparado para isso, reconhecendo que jogar em casa, com apoio da torcida, não é algo comum para essa seleção.

Desde que Vadão assumiu, em meados de 2014, a Seleção feminina fez 46 partidas, entre jogos oficiais e amistosos. Dessa lista, apenas dez foram em solo brasileiro. E isso graças ao Torneio Internacional de Futebol, que ocorre em dezembro e encerra o calendário da Seleção.

- É uma das coisas que mais tem gente trabalhado, para que não crie uma ansiedade muito grande. Jogamos muito pouco no Brasil. Nossos jogos contra as potencias são sempre fora. Essa expectativa de estar diante do público é grande, temos que trabalhar isso para não atrapalhar - afirmou o treinador.

Para vencerem as chinesas, o jeito vai ser escantear o nervosismo e transformar o ambiente em aliado.

BRASIL X CHINA
Local: Estádio Nilton Santos, Rio de Janeiro (RJ)
Data/Hora: 3/8/2016, às 16h
Árbitra: Carol Anne Chenard (CAN)

BRASIL: Barbara, Fabiana, Monica, Rafaelle e Tamires; Thaísa, Formiga, Debinha e Andressa Alves; Marta e Cristiane. Técnico: Vadão.

CHINA: Zhao Lina; Liu Shanshan, Zhao Rong, Li Dongna e Wu Haiyan; Gu Yasha, Tan Ruyin, Pang Fengyue e Wang Shuang; Zhang Rui e Yang Li. Técnico: Bruno Bini.