Thiagus Petrus foi um dos destaques do jogo/ Foto: CBHb

Thiagus Petrus não gostou da nova regra para o uso do goleiro-linha no handebol (Foto: CBHb)

Marcelo Laguna
28/07/2016
16:35
Enviado especial ao Rio de Janeiro (RJ)

O handebol dos Jogos Olímpicos Rio-2016 será o primeiro torneio de nível mundial entre seleções adultas em que estarão vigorando as novas regras aprovadas pela IHF (Federação Internacional de Handebol). Serão cinco as mudanças implantadas nesta Olimpíada e o que vem causando maior polêmica diz respeito à utilização do goleiro-linha. Para o armador brasileiro Thiagus Petrus, essa regra poderá até mesmo decidir o destino da medalha de ouro.

- Acho que é uma mudança bem radical e algumas seleções serão prejudicadas, entre elas o Brasil. Pela nossa característica física e técnica, não poderemos usar uma defesa mais tradicional, teremos que pressionar mais o adversário. Mas se aumentamos a chance de fazer gols com um jogador a mais, também corremos um risco maior nos contra-ataques - afirmou o armador, de 27 anos, que defende o Pick Szeged, da Hungria.

A mudança aprovada pela IHF é que a partir de agora, não será mais necessário que o o sétimo jogador de linha venha do banco com o uniforme de goleiro e qualquer jogador poderá sair, a qualquer momento, para que o goleiro retorne à quadra. O problema é que caso a troca não possa ser feita a tempo, nenhum jogador poderá entrar na área do goleiro e tentar defender a bola. Se o fizer, levará uma exclusão de dois minutos e será assinalado um tiro de sete metros (o "pênalti" do handebol).

- Tem muita gente se atrapalhando e vão acontecer muitas situações complicadas nas partidas. Atacar com um a mais aumenta sua chance de fazer um gol, mas se acontece um erro de passe ou de arremesso, você fica desguarnecido e sem goleiro no contra-ataque - disse Thiagus. Para ele, a mudança pode até mesmo decidir quem ficará com a medalha de ouro.

- A regra foi aprovada este ano e nenhum time da Europa a utilizou nos campeonatos nacionais. Nós só jogamos com essa nova regra no Pan-Americano, mas poucas seleções a utilizaram. Acho particularmente que essa regra é que irá decidir a Olimpíada. Porque está em adaptação e muitas seleções ainda não sabem como proceder - explicou Thiagus, que pela Seleção Brasileira já conquistou a medalha de ouro no Pan-Americano de Toronto 2015 e a prata em Guadalajara 2011.

Outras mudanças

Além da mudança do goleiro-linha, as novas regras do handebol em vigor na Rio-2016 serão as seguintes:
1) Alteração na marcação de jogo passivo, na qual a partir do momento em que o árbitro erguer a mão direita uma equipe poderá no máximo trocar seis passes para definir a jogada;
2) Aplicação de cartão amarelo ou dois minutos de exclusão em caso de simulação de contusão;
3) Utilização do cartão azul, que pode ser aplicado após o vermelho (exclusão do jogo) e indicando que haverá um relatório sobre sua conduta no jogo;
4) Por fim, a mudança nas sanções aplicadas no último minuto de um jogo. Agora, elas só serão utilizadas nos últimos 30 segundos do jogo. A punição com cartão vermelho seguido de tiro de sete metros será aplicada caso a infração traga riscos à integridade  física do jogador e não será utilizada em qualquer falta.