Fellipe Lucena
24/03/2016
22:29
São Paulo (SP)

Não era noite do Palmeiras. As coisas começaram a dar errado horas antes do jogo, quando o dirigível do clube, que os torcedores chamam de "porcão voador", perdeu o controle e saiu do Pacaembu desgovernado. Não é que a cena inusitada retratou com perfeição o que ocorreu no campo? Sem rumo, o Verdão levou 2 a 1 do Red Bull e chegou a três derrotas em três jogos com Cuca. Veja a repercussão da partida nos vestiários.

Uma falha de comunicação inacreditável causou atrito entre Dudu e o técnico logo aos 9 minutos. O atacante sentiu dores na coxa, saiu para ser atendido e logo levantou para voltar ao gramado. Quando viu que Allione já estava em seu lugar, o camisa 7 não escondeu a irritação e chutou a bolsa do doutor Vinicius Martins. "Pergunta para o treinador. Não deu nem tempo de me examinarem", disse o jogador. "Pergunta para o médico. O doutor falou que não tinha condição", rebateu Cuca. Veja como foi o jogo lance a lance.

A Mancha Alviverde, que já exibia faixas de protesto na arquibancada - "cadê o dinheiro da Crefisa?", "cadê o dinheiro do Avanti?" e "elenco de Série B" - foi dando o tom da impaciência ao longo da horrível primeira etapa do time. No intervalo, quando Thiago Galhardo e Roger já haviam feito os gols do Red Bull em falhas clamorosas do Palmeiras, ecoaram os primeiros gritos contra Paulo Nobre, Alexandre Mattos e o time, chamado de “sem vergonha”.

O primeiro gol saiu de um contra-ataque: Rafael Marques caiu na área e ficou pedindo pênalti enquanto Galhardo avançava sem ser incomodado até driblar Prass e empurrar para a rede. Roger também não foi importunado para marcar o segundo de cabeça, após cobrança de escanteio.

Cuca trocou Jean por Alecsandro no intervalo. Mais tarde, pôs Zé Roberto na vaga de Erik. O time cresceu e diminuiu o prejuízo aos 14 minutos, com um gol de oportunismo justamente de Alecsandro.

Restava meia hora para buscar ao menos um empate. O Red Bull recuou e teve de sustentar a vantagem na base de defesas de Saulo, como em uma pancada de Egídio - que já havia cobrado uma falta no travessão antes do gol - e da sorte, como no lance em que Allione apareceu livre e bateu para fora. A missão complicou de vez quando Vitor Hugo teve de deixar o campo após choque de cabeça, aos 38 minutos, e o Verdão teve de jogar com dez atletas. Rafael Marques ainda teve chance incrível, mas Saulo salvou.

Campeonato Paulista - Palmeiras x Red Bull Brasil (foto:Eduardo Viana/LANCE!Press)
Torcida protestou (foto:Eduardo Viana/LANCE!Press)

O resultado mantém o Palmeiras em segundo lugar do Grupo B, com 15 pontos, à frente do Novorizontino pelos critérios de desempate. O Ituano lidera a chave com 18 pontos, enquanto Ponte Preta e São Bernardo ainda estão na briga, com 13 cada um. O Red Bull, por sua vez, é vice-líder do grupo do Corinthians, com 19 pontos. Confira a classificação do Paulistão.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 1 X 2 RED BULL BRASIL


Local: Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data-Hora: 24/3/2016 - 20h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral
Auxiliares: Herman Brumel Vani e Mauro André de Freitas
Público-Renda: 14.395 pagantes / R$ 284.805,00
Cartões amarelos: Alecsandro (PAL), Diego Sacoman, Maylson, Roger e Breno Lopes (RBB)
Gols: Thiago Galhardo 39' 1ºT (0-1), Roger 44' 1ºT (0-2), Alecsandro 14' 2ºT (1-2)

PALMEIRAS: Fernando Prass, Lucas, Edu Dracena, Vitor Hugo e Egídio; Arouca, Jean (Alecsandro - intervalo) e Robinho; Erik (Zé Roberto 11' 2ºT), Rafael Marques e Dudu (Allione 9' 1ºT). Técnico: Cuca

RED BULL BRASIL: Saulo, Everton Silva, Anderson Marques, Diego Sacoman e Breno Lopes; Nando Carandina, Thiago Galhardo (Rafael Costa 15' 2ºT) e Maylson; Misael (Luan 30' 2ºT), Edmílson (Willian Rocha - intervalo) e Roger. Técnico: Maurício Barbieri