Zé Ricardo ainda era técnico interino no Flamengo

Zé Ricardo em treino do Flamengo (Reprodução)

Paulo Victor Reis
07/10/2016
14:25
Rio de Janeiro (RJ)

Com 37 gols marcados, o Flamengo tem o pior ataque entre os quatro primeiros colocados do Campeonato Brasileiro. Em comparação aos demais times, a marca não chega a ser ruim, mas o técnico Zé Ricardo quer melhorar a estatística. Nesta sexta-feira, ele concedeu entrevista coletiva no Ninho do Urubu e falou sobre a cobrança interna por maior poder de fogo.

- O engraçado é que conseguimos ajustar o setor defensivo ao longo da temporada, mas realmente precisamos evoluir na questão ofensiva, temos jogadores de muita qualidade do meio para frente. Estamos falando e nos cobrando que,se quisermos algo grande na competição, precisamos ser mais ousados e ambiciosos, fazer mais gols - afirmou.

O treinador comandou mais uma atividade fechada à imprensa na manhã desta sexta-feira, no Ninho do Urubu. Ele confirmou a entrada de Chiquinho na lateral esquerda para o jogo deste domingo, contra o Santa Cruz, mas admite que ainda tem uma dúvida no ataque, entre Fernandinho e Everton. 

- Não tem mistério. Chiquinho substitui Jorge na lateral esquerda. Testamos uma formação na frente ontem e outra hoje. Vou ver os vídeos que fizemos. Se não jogar o Everton, joga o Fernando. Thiago Santos teve uma semana muito boa, estou procurando uma chance para colocá-lo também - comentou.

O Flamengo deve ir a campo com Paulo Victor, Pará, Réver, Rafael Vaz e Chiquinho; Márcio Araújo, Arão e Diego; Gabriel, Fernandinho (Everton) e Felipe Vizeu. 

CONFIANÇA EM PAULO VICTOR

Zé Ricardo garante ter total confiança no goleiro Paulo Victor, que entra no lugar de Muralha, a serviço da Seleção Brasileira. O treinador contou que o camisa 48 realmente ficou chateado com a reserva.

- A história dele todos conhecem. Uma coisa tem que ser dita, ele não deixou de trabalhar mesmo chateado. Respeitamos muto a opinião dele, merece meu respeito. Foi sensível ao companheiro, respeitou a decisão, o que nos deixa confiantes é que ele treinou muito. Ele está pronto, não deixou de estar. Infelizmente, contusões acontecem. Ele sofreu duas e ficou nove jogos fora. Mantive o Alex, mas nada capaz de desmotivar o Paulo Victor - contou.