Flamengo - Willian Arão (foto:Paulo Sergio)

Willian Arão exige concentração ao Rubro-Negro para a partida contra o Figueira (foto:Paulo Sergio)

Hugo Mirandela
16/09/2016
12:42
Rio de Janeiro (RJ)

Vice-líder do Brasileirão, o Flamengo vem animando sua torcida na busca pelo hepta da competição, ainda mais depois da boa atuação no empate com o líder Palmeiras. Os torcedores rubro-negros compareceram em peso no aeroporto no embarque e desembarque da delegação, fizeram festa e a cada dia mais as brincadeiras de 'cheirinho de título' aumentam nas redes sociais. Questionado sobre o que fazer para fugir desse clima de 'oba-oba', o volante Willian Arão disse que o time precisa manter a concentração e deixar a euforia com a torcida.

- A gente tem que se manter concentrado o máximo possível. Tem que deixar de lado essa brincadeira de cheirinho. Obviamente a gente escuta, vimos como estava o aeroporto, e isso incentiva, mas temos que manter a concentração. Deixa essa euforia para torcida. Se chegar em dezembro e as coisas não forem boas, vai ser um grande frustração. Então, a gente tem que manter a calma para chegar em dezembro e começar esse título com eles - opinou o volante em coletiva de imprensa nesta sexta-feira.

Para o jogo contra o Figueirense, no domingo, o volante Márcio Araújo está suspenso, já que foi expulso contra o Palmeiras. Por conta disso, Cuéllar deve começar jogando e Arão ser recuado para a função de primeiro homem do meio. O jogador garantiu que se sente confortável na posição.

- Eu joguei muito tempo de primeiro volante e há dois anos atuo como segundo, saindo mais para o jogo. Ali contra o Palmeiras era uma questão tática e eu fui trocando ainda com o Cuéllar. Mas me sinto confortável. O que o professor decidir, vou fazer o melhor para poder ajudar - disse Arão, destacando que pode variar o posicionamento com Cuéllar.

- Hoje em dia a gente tem mania de denominar a função do jogador. Contra o Vitória, tinha hora que eu ficava mais do que o Márcio. Não tem essa função de primeiro volante, quando ele vai sair, eu fico. A gente não pode se prender nessa questão de primeiro volante. Me sinto confortável e tranquilo nessas posições - completou.