cristóvão e marlone

Técnico e meia já trabalharam juntos em dois outros clubes (Foto: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians)

Gabriel Carneiro
08/07/2016
13:27
São Paulo (SP)

Cássio, Pedro Henrique e Ángel Romero não eram titulares do Corinthians sob o comando de Tite, mas entraram na equipe após a chegada do técnico Cristóvão Borges, há três semanas, e participaram de três vitórias e apenas uma derrota do comandante até o momento, resultados que levaram o Timão ao segundo lugar do Campeonato Brasileiro. Além dessas definições, o treinador já precisa lidar com pequenas insatisfações de jogadores que têm pouco espaço agora, como os meias Guilherme e Marlone. 

Enquanto o primeiro se queixou publicamente por desconhecer a razão pela qual foi sacado da equipe titular, o outro recebeu sondagens de Sport e Ponte Preta e seus representantes cogitaram o empréstimo até o fim do ano para que ele tivesse mais chances. Preocupado com a possibilidade de perder jogadores importantes para a sequência do Brasileirão e futuramente a Copa do Brasil, Cristóvão teve uma conversa reservada com Marlone e falou em entrevista coletiva que não há riscos de o camisa 8 deixar o Parque São Jorge.

- Pretendo utilizar (o Marlone). Conversei com o jogador e nada disso (propostas de Sport e Ponte Preta) é verdade. O desejo dele é continuar no Corinthians e assim como outros têm tido poucas oportunidades, mas na sequência da temporada terá oportunidade. Ele quer continuar aqui, e isso é que importa - esclareceu o treinador do Corinthians.

Conhecido por conduzir bem seus grupos de trabalho durante os cinco anos que exerce a função de treinador, Cristóvão acredita que os bons resultados fizeram a poeira dos questionamentos baixar, especialmente porque ele é substituto de Tite, técnico mais vencedor da história do Corinthians. Ele classificou as reclamações por falta de espaço e outras polêmicas como "ruídos", e vê as situações cada vez mais superadas.

- Essa facilidade em poder ter resolvido alguns ruídos que já aconteceram desde a minha chegada é positiva, porque jogador gosta de coisas claras e diretas, e é assim que faço. Até agora não tive problema e não acho que vá ter. Problemas no futebol acontecem diariamente, e vamos procurar resolvê-lo, mas a relação é clara e direta - citou Cristóvão Borges.