Brasil x França, VNL

Lance de Brasil x França pela VNL (FIVB Divulgação)

Web Vôlei
03/06/2021
12:28
São Paulo

Depois de perder a batalha no primeiro set – que só terminou no 39 a 37 para a França – o Brasil sentiu o golpe, teve dificuldade de vence o bom bloqueio e a excelente defesa dos rivais e sofreu sua primeira derrota na Liga das Nações Masculina de Vôlei, nesta quinta-feira, em Rimini, na Itália, pela quarta rodada da fase classificatória. A Seleção Brasileira caiu para os franceses por 3 sets a 0 – parciais de 39-37, 25-18, 30-28- e perdeu a liderança e a invencibilidade na VNL. Os franceses subiram da segunda para a primeira colocação, com 11 pontos, enquanto o Brasil segue com 9.

A Seleção Masculina volta à quadra nesta sexta-feira para enfrentar o Japão, às 8h (de Brasília) e encerra a segunda semana sábado, contra a Sérvia, às 10h. O SporTV 2 mostrará.

O oposto francês Patry foi o maior pontuador do jogo, com 20 pontos, seguido por Tillie, com 13. Pelo Brasil, Leal e Lucarelli pontuaram 12 vezes.

O técnico Carlos Schwanke entrou em quadra com Bruninho, Wallace, Isac, Flávio, Leal, Lucarelli e Thales (líbero), mas mexeu bastante no time ao longo do jogo. O Brasil segue sem os seus centrais titulares. Maurício Souza se recupera de uma lesão na panturrilha e Lucão ficou no Brasil para acompanhar o nascimento da filha, ontem, e só chega à Itália na próxima semana.

O Brasil começou em ritmo forte, fazendo 5 a 1 no placar, com Isac muito bem no saque, mas passou a errar de mais e deu fôlego para a França encontrar o seu jogo. Aos poucos, os europeus tiraram a diferença e viraram no 23 a 22, com 11 pontos cedidos pelo Brasil. Com um jogo consistente no bloqueio e na defesa e contando com os bons ataques de Ngapeth e Patry, eles equilibraram a partida, salvaram muitos set points do Brasil para vencer o primeiro set por 39 a 37 – set mais longo da história da Liga das Nações.

Lembrando que a França será comandada, a partir de setembro deste ano, pelo técnico Bernardinho, que terá a missão de conduzir o time ao ouro olímpico na Olimpíada de 2024, que será disputada na casa deles, em Paris.

A Seleção Brasileira sentiu o golpe da derrota e voltou em rotação menor no segundo set. Schwanke começou a parcial com Matheus Pinta no lugar de Flávio. Cachopa e Alan entraram na inversão do 5 x 1 durante a partida e ficaram até o final. Mas, a França estava implacável nos contra-ataques, amortecendo com eficiência o poderio ofensivo do Brasil.

Alan foi mantido no time titular no terceiro set e Bruninho voltou para o jogo, mas a França voltou melhor, fazendo 7 a 4. Douglas Souza entrou no lugar de Leal. No entanto, o Brasil não conseguia manter uma boa sequência de saques e voltou a errar bastante. A Seleção equilibrou o jogo no final, salvou cinco match points, mas num erro de Lucarelli os franceses fecharam o set em 30-28.