Vitória brasileira na bolha de Rimini

Mais uma vitória brasileira em Rimini (FIVB Divulgação)

Web Vôlei
02/06/2021
18:25
Rio de Janeiro

Com grande atuação de Rosamaria atuando como ponteira e Roberta como titular a partir da metade do primeiro set, o Brasil derrotou a Itália por 3 sets a 1 - parciais de 19-25, 25-15, 25-19, 25-19 -, de virada, na tarde desta quarta-feira, na cidade de Rimini (ITA), no encerramento da sexta rodada da fase classificatória da Liga das Nações Feminina de vôlei.

A Seleção Brasileira agora folga três dias e só volta a jogar no próximo domingo (06.06), às 11h, contra a Sérvia, na abertura da terceira semana. Nesta quinta-feira, é a vez de a Seleção Masculina entrar em quadra. Líderes invictos com três vitórias em três jogos e 9 pontos conquistados, os atuais campeões olímpicos enfrentam a também invicta França, vice-líder com 8 pontos, a partir das 10h (horário de Brasília), com transmissão pelo SporTV 2. 

A ponteira italiana Melli foi a maior pontuadora do jogo, com 19 pontos. Tandara e Rosamaria marcaram 17 cada uma e Carol, 14 (5 de bloqueio)

O técnico José Roberto Guimarães começou o jogo com: Macris, Tandara, Carol, Bia, Ana Cristina, Bia e Camila Brait (líbero), mas, fez duas mudanças importantes ainda no primeiro set, comandado pela Itália desde o início. A jovem ponteira Ana Cristina, 17 anos, sentiu a pressão no passe e acabou substituída por Rosamaria, que é oposta de origem, mas vem executando a função de ponteira quanto necessário e foi muito bem. Roberta substituiu Macris ainda no primeiro set e, assim como Rosamaria, ficou até o final na partida. As duas entraram bem.

A Itália mostrou um time valente, com bom volume de jogo e boas jogadoras nas extremidades, como Mingardi e Melli. Isso, porque o grupo principal, com 15 jogadoras, o que vai para Tóquio no mês que vem, está treinando separadamente, visando os Jogos do Japão.

Para o Brasil, o jogo foi importante em vários aspectos: mostrou que Zé Roberto pode contar com Rosamaria também como ponteira; Roberta entrou solta, jogando bastante com a Tandara - repetindo a dobradinha da última Superliga com a camisa do Osasco São Cristóvão Saúde - e deu pistas de que Bia é, hoje, a terceira central na sua preferência para Tóquio.

Carol tem sido a jogadora mais regular do Brasil e vem honrando com glórias a incumbência de substituir a gigante Thaisa. Gabi, que não tinha feito uma boa partida contra a Rússia - marcou apenas dois pontos, sendo apenas um de ataque, em três sets - demorou também a entrar no jogo no ataque hoje. Só marcou o primeiro ponto no fundamento no 16 a 12 do segundo set. Mas, como sempre, segurou muito bem a responsabilidade no fundo de quadra.