Bloqueio brasileiro foi destaque contra a Sérvia

Bloqueio brasileiro foi destaque contra a Sérvia (FIVB Divulgação)

Web Vôlei
13/06/2019
05:26
São Paulo

Com 20 pontos de Gabi, mais uma vez o grande nome do jogo, o Brasil derrotou a Sérvia por 3 sets a 0, parciais de 25/23, 25/21 e 25/15, na madrugada desta quinta-feira, na cidade de Tóquio, no Japão, no encerramento da quarta semana da Liga das Nações feminina de vôlei.

Com o resultado, o time do técnico José Roberto Guimarães garante ao menos a quarta colocação ao final da rodada de hoje, que tem mais sete confrontos pela frente. Foi a nona vitória da Seleção em 12 jogos, a quinta consecutiva. A equipe deixa o Japão sem sofrer nenhuma derrota, com apenas um sete perdido, e soma 28 pontos.

A delegação verde-amarela segue agora para a Turquia, sede da quinta e última semana da fase classificatória da competição. Entre os dias 18 e 20 de junho em Ankara (TUR), o Brasil medirá forças com Itália, Bélgica e Turquia.

A fase final que reunirá a China, país sede, e as cinco seleções mais bem classificadas ao final da fase classificatória será disputada em Nanquim, na China, entre os dias 3 e 7 de julho.

Gabi analisou a boa vitória.

– Estou me sentindo confiante, estou tentando ajudar as meninas também a se sentirem bem em quadra. Foi bom deixar o Japão com 9 pontos. Hoje tivemos dificuldades no início na recepção, com problemas de usar as centrais, mas estou feliz por ter sido um 3 a 0, somando mais três pontos - disse Gabi.

A ponteira falou sobre a dificuldade da quinta semana, teoricamente a mais dura para o Brasil na Liga das Nações.

– Sabemos que essa próxima etapa seja a mais difícil. Turquia era líder até a última rodada, a Itália, a gente já sabe a dificuldade que é jogar contra elas, vai ser uma semana dura. Mas nosso time está crescendo, ganhando identidade – completou.

Depois de um jogo equilibrado nos dois primeiros sets, o Brasil sobrou no terceiro. José Roberto escalou o time titular de sempre, com Natália atuando nos dois primeiros sets e saindo no terceiro para ser poupada, já que volta de lesão recente. Desta vez, no entanto, ele fez mudanças maiores na equipe que retornou para a terceira parcial, sacando a central Mara e a oposta Paula Borgo, que não estavam bem na partida, para as entradas de Mayany e Lorenne, respectivamente. Amanda foi a opção para o lugar de Natália.

As mudanças surtiram efeito. Lorenne já tinha entrado bem no final do segundo set, quando a Sérvia esboçava uma reação e o placar estava 20 a 19 para o Brasil, e só saiu de lá com 24 a 19 no marcador. O bloqueio foi o fundamento que mais respondeu às mudanças de Zé Roberto. O Brasil tinha apenas 3 pontos neste quesito no final do segundo set – passou em branco no primeiro – e terminou o confronto com 12.

Outro aspecto positivo para o Brasil, além do bloqueio, foi o número de erros, apenas 13, contra 23 das sérvias. O time marcou 34 pontos de ataque, contra 33 das rivais e fez 5 aces, contra 3 das europeias.