Samir destacou polivalência para conquistar espaço na Seleção

Samir durante a coletiva da Seleção (Foto: Pedro Martins / MoWA Press)

LANCE!
03/09/2019
18:29
Miami (EUA)

Titular absoluto da Udinese, o zagueiro Samir, de 24 anos de idade, foi convocado pela primeira vez para a Seleção Brasileira para os amistosos contra Colômbia e Peru, nos próximos dias 6 e 11 de setembro, respectivamente. 

Nesta terça-feira, o defensor foi um dos escolhidos para conceder entrevista coletiva durante a preparação da Seleção, em Miami. O jogador revelado pelo Flamengo salientou a oportunidade de mostrar serviço com a camisa do Brasil e afirmou que os amistosos servirão de testes.

- Tendo minha oportunidade, vou tentar aproveitar da melhor maneira possível. E creio que os jogadores que tiverem oportunidade vão fazer isso. Todo mundo quer cavar uma vaga na Seleção. Esses dois amistosos vão servir de teste, óbvio - disse.


Pelo Flamengo, Samir ficou marcado, além da técnica dentro de campo, também por ter muitas lesões e ser desfalque em várias oportunidades. Hoje na Udinese, o zagueiro é um dos titulares absolutos, e destacou que a sequência foi importante para que fosse convocado.

- Quando eu jogava no Brasil, tive muitas lesões. Normalmente o Flamengo joga 70 partidas no ano, eu jogava 20, 25. Para um atleta de 18 anos é muito pouco. Isso me atrapalhava bastante. Eu não era tão profissional como sou agora, minha cabeça mudou bastante. Minha ida para a Europa ajudou bastante. Eu consegui manter um ritmo que não tinha no Brasil por causa das lesões. Estou muito feliz com a sequência que tenho no meu clube. Essa regularidade é importante para que o estafe da Seleção me acompanhe - destacou.

Cria do Fla, Samir também não deixou de falar sobre ter a 'companhia' de Lucas Paquetá e Vinicius Junior, ambos revelados pelo Flamengo, na Seleção Brasileira.

- Bom acompanhar esses meninos. Na estreia do Jorge eu estava em campo, o Vinicius é um menino muito bom. Paquetá frequentava nossos treinos. Todos eles, menos o Vinicius, que era mais jovem. Mas o Paquetá e o Jorge eram figurinhas que estavam sempre ali. Eles também me ajudaram no meu crescimento. Desejo a eles uma vida longa nos clubes e na Seleção. E parabenizá-los pela convocação também, muito feliz por eles - salientou.