Conferência da FBJJ sobre arbitragem buscou debater a profissionalização da categoria (Foto: Divulgação/FBJJ)

Conferência da FBJJ sobre arbitragem buscou debater a profissionalização da categoria (Foto: Divulgação/FBJJ)

TATAME
08/09/2020
14:33
Rio de Janeiro (RJ)

No fim da última semana, a Federação Brasileira de Jiu-Jitsu realizou a primeira Conferência Nacional de Arbitragem, via internet, através da plataforma Zoom, que contou com a participação de mais de 130 árbitros e representantes de federações estaduais parceiras. O encontro teve como meta tratar as inovações da FBJJ para o cenário nacional e apresentar novas normativas e diretrizes, com intuito de oferecer aos árbitros do país a profissionalização, capacitação, certificação, respaldo e reconhecimento.

Julio Neto, que mora em Salvador, na Bahia, e é árbitro há cinco anos, comentou a importância de iniciativas como essa: “Essa primeira conferência relacionada aos árbitros, veio para fazer total diferença na vida e na qualidade do profissional árbitro, que é uma peça fundamental para os eventos de Jiu-Jitsu. A FBJJ trouxe exatamente esse quesito da profissionalização do árbitro através de carteirinhas, seminários e cursos. Como a FBJJ realiza eventos por todo o país, eles não se preocupam em escalar árbitros só do centro do Jiu-Jitsu, como São Paulo e Rio de Janeiro, mas dão preferência aos árbitros locais. Esse é o objetivo de qualificar e capacitar os árbitros pelo país. Excelente a metodologia”, analisou.

Quem também participou da reunião foi Vandeir Silva, de Brasília. Envolvido com a arbitragem há mais de dez anos, ele exerce a função de árbitro e também é o diretor de arbitragem da Federação de Jiu Jitsu de Brasília. Segundo o faixa-preta, esse movimento da FBJJ é importante para o esporte como um todo.

“Estamos vivenciando um novo e importante passo para a arbitragem e, consequentemente, para o esporte. Através desta iniciativa, um processo de valorização dos profissionais toma forma como nunca tinha se feito antes. Esse procedimento passa pela capacitação, certificação, homologação, padronização e identificação profissional, incidindo em maior valorização dos profissionais de arbitragem”, comentou Vandeir.

Vice-presidente da FBJJ, Rodrigo Natalino comemorou o sucesso da primeira edição: “Foi incrível. Recebemos árbitros e parceiros de federações de todo o Brasil. Mais de 130 pessoas estiveram presentes e conseguimos mostrar com muita clareza o nosso objetivo para a arbitragem nacional. O feedback foi positivo”, disse.