Carlos Marques vai disputar o cinturão peso-galo do evento espanhol Rise Champions

Carlos Marques vai disputar o cinturão peso-galo do evento espanhol Rise Champions (Foto: Carol Pessoa)

LANCE!
13/04/2022
10:51
Mariana (MG)

O goiano Carlos Marques está de malas prontas para as Ilhas Canárias, na Espanha, onde no dia 23 de abril lutará pelo cinturão do Rise Champions. O peso-galo, que treina na recém-criada Libertas Esportes de Combate e também representa a equipe de MMA do Corinthians, terá pela frente o espanhol Kevin Cordeiro, em duelo que vale o título da categoria peso-galo. O brasileiro de 27 anos, que não luta desde 2019 por conta da pandemia, venceu quatro das suas últimas cinco lutas, e chega confiante para o combate contra Cordeiro, que tem um cartel com 17 lutas de MMA, sendo 14 vitórias, sete por finalização e três por nocaute, e três derrotas.

“A expectativa é sempre a melhor. Vou entrar como em todas as minhas lutas anteriores, buscando o nocaute ou a finalização, sem deixar nas mãos dos juízes, e vou trazer esse cinturão para o Brasil. Pelo que analisei, essa luta será disputada em pé, na trocação. Ele é mais alto e gosta de impor o seu jogo de Boxe. Ele gosta de jogar sequências grandes, então trabalhei bastante os golpes de encontro. Vejo essa luta como uma boa oportunidade de mostrar mais uma vez para o mundo o nosso trabalho, desta vez em terras espanholas. Vamos conquistar mais um cinturão na Europa”, garantiu Carlos, que possui um cartel com nove vitórias, sendo cinco por finalização e quatro por nocaute, duas derrotas e um no contest (sem resultado).

Nascido em Goiânia, capital de Goiás, Carlos Marques começou no Boxe aos 17 anos, mas logo se interessou pelo MMA. Depois de passar um tempo treinando em uma filial da Brazilian Top Team (BTT) em Anápolis, seu primeiro treinador fez contato com o Corinthians, que estava montando uma equipe de MMA. O clube se interessou por Marques e o contratou para fazer parte da equipe paulista.

“Comecei nas artes marciais em Goiânia, no fundo de um quintal. Eu usava luvas rasgadas e tinha um saco de bater feito com pneus velhos. Meu primeiro treinador foi o Paulo Boxe, que já treinava o meu irmão. Ele viu que eu levava jeito para a luta e começou a investir em mim, sempre me guiando, e, com 17 anos, me colocou para fazer uma luta de MMA profissional. Eu me saí bem e ele me levou para uma filial da BTT em Anápolis, comandada pelo Sérgio Garça. Passei um bom tempo com ele aprendendo chão e MMA. Um tempo depois o Paulo entrou em contato com o Corinthians, eles se interessaram e me contrataram”, contou Carlos.

Além de carregar a bandeira do Corinthians, ele também irá representar nesta luta a Libertas Esportes de Combate. Por conta da boa relação com André Benkei, head coach e fundador da equipe, ele decidiu fazer parte do seu camp em Mariana, Minas Gerais, onde está baseado novo time de Benkei.

“O Corinthians tem um time de MMA com grandes campeões. Tenho todo apoio e estrutura que necessito para os treinamentos e levo comigo a marca deste grande clube. A Libertas é uma equipe nova, mas conta com grandes treinadores que estão me ajudando a evoluir no MMA. Tenho uma relação com o André Benkei e confio no trabalho dele, por isso decidi treinar também na Libertas”, concluiu.