Leila Pereira e Julio Casares - formação da Liga

Presidentes Leila Pereira (Palmeiras) e Julio Casares (São Paulo) dão entrevista após reunião da liga (FOTO: Rafael Ribeiro)

Rafael Ribeiro
03/05/2022
13:09
São Paulo (SP)

Em reunião ocorrida na manhã desta terça-feira, em hotel no bairro dos Jardins, em São Paulo, oito clubes (seis da Série A e um da B) assinaram o estatuto para a criação de uma liga independente de futebol a fim de organizar o Campeonato Brasileiro. O nome da associação é Libra e o documento é uma institucionalização de pessoa jurídica. O projeto é encabeçado pela empresa Codajas e pelo banco BTG.

Os clubes signatários foram: Corinthians, Palmeiras, Santos, São Paulo, Cruzeiro, Flamengo, Ponte Preta e Red Bull Bragantino. Na saída da reunião, a presidente do Palmeiras, Leila Pereira, disse confiar que no próximo dia 12 de maio, uma quinta-feira, haverá assinatura dos 40 clubes (somando Séries A e B). 

- A constituição da liga foi realizada hoje. Não tem como se olhar para trás, só para frente. Alguns clubes não se sentiram à vontade para assinar hoje (terça), mas eu acredito que até a quinta feira tudo estará resolvido. 


O presidente do São Paulo, Julio Casares, deu detalhes do documento e afirmou que os participantes da reunião falaram nome de todos os clubes das Séries A e B.

- Hoje instrumentalizamos a pessoa jurídica da Liga. Não existia. Agora tem. Antes potenciais investidores vinham falar e falavam comigo, que representava apenas São Paulo, com a Leila, do Palmeiras, com o Landim, do Flamengo. Com as assinaturas de hoje conseguimos nos sentar com os interessados e falar em nome de todos.

>Quem leva o título? Simule todos os jogos do Brasileirão-2022

Deve acontecer um novo encontro, desta vez na CBF, no dia 12, quinta-feira, para tentar concretizar a criação da liga. 

- Houve consenso entre os 40 clubes (das séries A e B). A maioria não assinou agora por motivos burocráticos, como a necessidade de se conseguir a aprovação nos seus conselhos antes e coisas do tipo - declarou Andrés Rueda, presidente do Santos.

VOZ DIVERGENTE

Entre os dirigentes que falaram na saída do hotel, houve uma voz dissonante. Mário Celso Petraglia, presidente do Athletico-PR, fez críticas ao bloco de cinco clubes paulistas da Série A e Flamengo.

- Já vi várias e várias dessas reuniões. Encontros que não dão em nada. E não vai dar em nada enquanto os clubes de maior torcida só verem vantagens para si mesmo. Já vi minuta de criação de clubes sendo rasgada na porta de cartório. Vi a Primeira Liga, que foi boicotada. É esperar. Se o Athletico vai assinar, provável que sim. Mas não vai ser por imposição dos outros. Com o que os outros querem. Eles precisam da gente. Ou senão que joguem Flamengo e Corinthians o ano inteiro - declarou o dirigente, que submeterá os termos da liga ao Conselho Deliberativo do Furacão.

Os rumos dessa nova Liga de Clubes têm sido objeto de discussão entre clubes e grupos empresariais nos últimos meses. Liga Espanhola, Premier League e BTG Pactual fizeram ofertas para clubes brasileiros para comandar a nova associação. Em março passado, dirigente que comanda a La Liga, na Espanha, esteve em São Paulo e apresentou projeto. É possível que nas próximas semanas haja novas conversas, a depender do desfecho da reunião desta terça.

Clique aqui e ganhe R$50 para jogar no Galera.bet