Rogério Chequer (Novo)

Rogério Chequer é o candidato ao Governo de São Paulo pelo Partido Novo (Foto: Divulgação)

Ana Canhedo e Vitor Chicarolli
03/10/2018
07:00
São Paulo (SP)

Formado em Engenharia de Produção, Rogério Chequer é o candidato do Partido Novo ao Governo do Estado de São Paulo. Aos 50 anos, espera ser eleito para poder reciclar a formação dos policiais no estádio, melhorando as condições de segurança da população. Além disso, promete usar "inteligência" para otimizar o transporte público aos torcedores que vão a jogos disputados tarde da noite. 

Em entrevista ao LANCE!, Chequer respondeu a perguntas voltadas para o esporte. Confira abaixo o que pensa o candidato: 

Por que se candidatar?
Basicamente porque acreditamos que está na hora da mudança. São Paulo é governado há 24 anos pelo mesmo partido e seus aliados de primeira e última hora. O Estado, usando a máquina pública para benefícios próprios – seja para enriquecimento pessoal, interesses comerciais privados, ou para sua perpetuação no poder - se tornou grande, caro, ineficiente e corrupto. Não há critérios de profissionalismo nem foco na população e embora quem pague o preço mais alto seja justamente quem mais precisa, os danos atingem a vida de todos os brasileiros. Aqui se criou uma estrutura inchada e ineficiente, incapaz de oferecer serviços básicos de qualidade para a população, mas eficiente para reeleger seus governantes e perpetuar o mecanismo.

O que pretende fazer para incentivar a prática esportiva em SP?
Vamos analisar parcerias para implantação de projetos de esporte e cultura nos parques estaduais e municipais. Queremos também que isso ocorra para o desenvolvimento de atividades esportivas inseridas na política educacional de formação em período integral. O esporte precisa ser inserido como forma de inclusão social e aproximação das comunidades com as escolas públicas.

A Polícia Militar do Estado de São Paulo continuará com uma grande presença em eventos esportivos?
A Polícia Militar estará presente sempre que necessário para garantir a ordem e segurança da população.

Os clássicos disputados em São Paulo acontecem com torcida única desde abril de 2016. Esse procedimento continuará?
A continuidade ou não deste procedimento não é uma decisão isolada do governo do Estado, depende de acordo envolvendo o Ministério Público do Estado e a Secretaria de Segurança Pública. O objetivo de todo é proporcionar maior segurança ao cidadão em geral e aos torcedores que vão aos estádios.

Vale ressaltar que há casos de brigas longe da região da partida. Como aumentar a segurança e evitar esses episódios?
Com a melhora da segurança como um todo. Temos de valorizar nossos policiais, com melhor remuneração, treinamento, reciclagem, equipamentos, tecnologia, inteligência e integração. Além disso, pretendemos tirar policiais de funções burocráticas e coloca-los nas ruas. Iremos expandir o monitoramento via câmeras apor meio de parcerias com a iniciativa privada. Além disso, iremos pleitear um endurecimento das leis penais para acabar com a sensação de impunidade. Com isso, a violência entre torcidas também será minimizada.

A mobilidade aos estádios irá melhorar? Torcedores enfrentam dificuldades para ir ao Morumbi, como também acontece em Itaquera, em jogos às 21h45.
Toda a mobilidade no Estado irá melhorar. Vamos fazer uma parceria com o setor privado para operação da CPTM e do Metrô. Teremos um núcleo de inteligência para otimizar a expansão das linhas, além de parcerias para uma maior exploração comercial das estações. As licitações até agora foram feitas de maneira equivocada e apenas para privilegiar inaugurações em ano eleitoral. Não há um pensamento a longo prazo por não haver interesse político.

São Paulo terá duas sedes na Copa América de 2019. Como será a preparação para o evento?
São Paulo está acostumado a receber grandes eventos e teremos especial atenção para garantir a segurança, tranquilidade e mobilidade dos torcedores durante a Copa América.

Buscará a prefeitura para ações conjuntas na área esportiva, independentemente de questões partidárias? Como agirá nesse sentido?
Com certeza faremos parcerias com as prefeituras em todas as áreas e independente de questões partidárias. Na área esportiva, iremos implementar uma formação em tempo integral, com práticas esportivas e culturais no contraturno além, é claro, do reforço escolar.

Pretende introduzir ou aperfeiçoar algum tipo de programa de bolsa para o desenvolvimento de atletas?
Acreditamos que o governo do Estado pode e deve promover parcerias, em conjunto com a iniciativa privada, para poiar o desenvolvimento de atletas de alto desempenho.

São Paulo conta com um moderno Centro Paralímpico Brasileiro. Haverá um incentivo ainda maior no esporte paralímpico?
Nosso plano de governo prevê claramente que o Estado tem de servir principalmente a quem mais precisa dele, como crianças, idosos e portadores de deficiências. O esporte paralímpico se insere nesse contexto e terá sim uma atenção especial.

Bate-bola com a (o) candidata (o):
Pratica ou praticou algum esporte?
Praticou polo aquático, atletismo, karatê, tênis, corrida e triathlon. Atualmente está parado.

Ídolo no esporte: Bernardinho e Vanderlei Cordeiro de Lima

Lembrança que tenha ligação com esporte: A conduta do Vanderlei, quando derrubado, me marcou. O fato de ele ter levantando, continuando, perdido e celebrado.

Time do coração:
São Paulo