Márcio França (PSB)

Márcio França é o atual governador de São Paulo e candidato ao cargo pelo PSB (Foto: Divulgação)

Ana Canhedo e Vitor Chicarolli
02/10/2018
06:00
São Paulo (SP)

Secretário de de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, Márcio França assumiu o governo do estado de São Paulo em abril desde ano, após Geraldo Alckmin (PSDB) entregar o cargo para se candidatar à presidência. Vice do tucano, França é candidato à reeleição no cargo pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB) e afirma ter ideias diferentes às de Alckimin para colocar em prática. Aos 55 anos e natural de São Vicente, prometeu atenção especial a deficientes e atletas olímpicos. 

Em entrevista exclusiva ao LANCE!, o governador respondeu uma série de perguntas relacionadas ao esporte, dentre as quais afirmou que irá ajustar o transporte público aos jogos da noite e reavaliar a determinação de torcida única nos clássicos do estado. Confira o que pensa o candidato: 

Por que se candidatar?
Quando o Governador Alckmin me entregou o pavilhão de São Paulo, disse que estava deixando o governo em mãos honradas e experientes. Me orgulho muito disso, porque cumpri todas as etapas e construí uma carreira limpa para chegar até aqui. Eu não tinha sequer a possibilidade de concorrer a outro cargo eletivo e decidi buscar a reeleição, para manter as coisas boas que já existem, mas também corrigir alguns erros. Respeito muito o que passou, mas sou diferente, tenho outro pensamento, outras ideias. Já estou colocando em prática alguns projetos. Outros, ainda não pude dar prosseguimento em função dos limites impostos pela lei eleitoral, que restringe uma série de ações. Mas os farei assim que acabar o período eleitoral.

O que pretende fazer para incentivar a prática esportiva em SP?
Utilizaremos os equipamentos públicos para incentivar a prática esportiva no estado. No futebol, fiz um decreto que tombou os campos de várzea também para preservar a nossa cultura esportiva. Acredito também que devemos promover eventos esportivos que incentivem a população e atraiam as novas gerações.

A Polícia Militar do Estado de São Paulo continuará com uma grande presença em eventos esportivos?
A presença da PM é uma solicitação das entidades esportivas. É claro que o ideal seria que em todos os eventos esportivos, não houvesse a necessidade de efetivo policial. Mas, em alguns casos, a presença é solicitada e a Polícia do estado não pode se omitir. Deve zelar pela segurança da população em todas as circunstâncias.

Os clássicos disputados em São Paulo acontecem com torcida única desde abril de 2016. Esse procedimento continuará?
Essa foi uma determinação do Ministério Público em conjunto com a Secretaria de Segurança Pública que teve início em 2016. Os índices apontam uma queda nas ocorrências graves. Mas, mesmo assim, não acabaram. Temos que buscar alternativas em conjunto com a Federação Paulista e os Clubes para aumentar a sensação de segurança do torcedor. Sabe, eu frequento arquibancada. Em outros tempos tive o prazer de assistir aos jogos do Santos de Pelé e lembro que a rivalidade bem humorada e sem violência fazia parte da festa do esporte. Precisamos resgatar isso, mas com total segurança para as famílias que frequentam os estádios.

Vale ressaltar que há casos de brigas longe da região da partida. Como aumentar a segurança e evitar esses episódios?
Com investimento em tecnologia e inteligência. Nós precisamos aumentar o número de câmeras e integrar as já existentes para inibir esse tipo de ação. Com isso, será mais fácil identificar todos os responsáveis por qualquer tipo de briga ou vandalismo e puni-los da forma adequada. Não podemos achar comum que grupos de pessoas utilizem a rivalidade do futebol como pretexto para praticar atos violentos.

A mobilidade aos estádios irá melhorar? Torcedores enfrentam dificuldades para ir ao Morumbi, como também acontece em Itaquera, em jogos às 21h45.
As estações de metrô e CPTM utilizam o período noturno para reparos e manutenção. São poucas as horas que esses importantes equipamentos ficam fechados para isso. Mas é claro que deve-se buscar uma flexibilização de horários nos dias de partidas de futebol ou qualquer outro tipo de evento esportivo de grande interesse popular. Não é algo tão difícil. Vamos fazer!

São Paulo terá duas sedes na Copa América de 2019. Como será a preparação para o evento?
São Paulo é um país dentro de um país. Temos estrutura para receber o evento. Mas, vamos buscar maneiras de incentivar o turismo por meio do esporte no estado, aproveitando a presença do grande número de torcedores de outros países que estarão aqui.

Buscará a prefeitura para ações conjuntas na área esportiva, independentemente de questões partidárias? Como agirá nesse sentido?
Cumpri toda a minha trajetória política, nunca larguei nada pela metade e quem me conhece, sabe que tenho palavra. Não sou um aventureiro que quer ser governador por pura vaidade. Sei como as coisas funcionam e acredito que o bem comum está acima dos interesses políticos partidários. Além disso, tenho uma boa relação com o prefeito da Capital. Não há nada que impeça ações conjuntas, desde que sejam bem planejadas.

Pretende introduzir ou aperfeiçoar algum tipo de programa de bolsa para o desenvolvimento de atletas?
O esporte, assim como a cultura, é um elemento ligado na área de educação. Primeiramente, temos que utilizá-lo como ferramenta nesse sentido. Mas, desde já me comprometo a investir na formação de atletas olímpicos no estado, criando formas de incentivos para o desenvolvimento das práticas esportivas. No futebol, em específico, como já disse, publiquei um decreto que tomou os campos de várzea, reconhecendo a modalidade como uma plataforma de inclusão social e resgatando a nossa história e identidade com o esporte. Quero incentivar a prática esportiva como forma de integrar as novas gerações.

São Paulo conta com um moderno Centro Paralímpico Brasileiro. Haverá um incentivo ainda maior no esporte paralímpico?
Tenho uma atenção especial para pessoas com deficiência. Já autorizei a compra de mais de mil cadeiras de rodas e tenho como objetivo zerar a fila de pessoas que esperam por cadeiras. Buscaremos incentivos e parceiras para valorizarmos o desenvolvimento de todos atletas.

Bate-bola com a (o) candidata (o):
Pratica ou praticou algum esporte?
Sabe que, infelizmente, desde que assumi o governo, não consegui mais praticar esportes. Mas, sempre gostei de jogar futebol e de pescar quando dá tempo.

Ídolo no esporte: Pelé

Lembrança que tenha ligação com esporte: A despedida do Pelé, na Vila Belmiro

Time do coração: Santos