Paulo Skaf (MDB)

Paulo Skaf é candidato ao Governo do estado de São Paulo pelo MDB (Foto: Divulgação/MDB)

Ana Canhedo e Vitor Chicarolli
28/09/2018
07:00
São Paulo (SP)

Paulo Skaf, candidato ao Governo de São Paulo pelo MDB (Movimento Democrático Brasileiro), garante que dará uma atenção maior à segurança dos torcedores durante os jogos. Ele também diz que aumentará a quantidade de Centros de Treinamentos ao redor do estado, qualificando o suporte necessário aos atletas e para-atletas.

Em relação a mobilidade aos estádio, Skaf afirma que irá priorizar investimentos para expansão e modernização dos transportes públicos, reduzindo o tempo que o paulistano perde no transito e tornando as regiões onde ocorrem as partidas mais acessíveis.

O candidato atendeu ao LANCE! para falar sobre estes e outros assuntos relacionados a esportes em uma possível futura gestão.

Por que se candidatar?
Acredito que já passou da hora de os problemas de São Paulo serem enfrentados e resolvidos de uma vez. Chega do jogo de empurra. Nós precisamos de um governador que encare todos os problemas que os cidadãos enfrentam diariamente. É por isso que eu resolvi me candidatar. Quero servir ao povo de São Paulo. Este é o momento de transformar o estado, investindo em educação, saúde, gerando empregos e estimulando o empreendedorismo. Só se muda um estado transformando a vida das pessoas que nele vivem. Um governo de verdade valoriza, respeita e garante os meios pelos quais os cidadãos possam ascender em suas vidas. Vou utilizar toda a experiência que acumulei ao longo da minha vida e nos anos à frente do SESI, do SENAI, da FIESP, da CIESP e do SEBRAE para gerir o estado. Esse é o meu compromisso com o povo de São Paulo. Aprendi com o meu pai que compromisso assumido precisa ser cumprido. Por isso, quero dizer à população que estamos juntos nessa batalha, vamos vencê-la, temos a experiência necessária e sabemos o que fazer.

O que pretende fazer para incentivar a prática esportiva em SP?
Eu vou implementar gradualmente o ensino em tempo integral nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Os alunos passarão mais tempo nas escolas e nas quadras esportivas. Acredito que nenhum lugar ensina mais sobre respeito do que um tatame. Nenhum lugar ensina mais sobre determinação do que uma pista de corrida. Também pretendo levar a experiência do Programa Atleta Do Futuro - de incentivo ao esporte, desenvolvido pelo SESI, para toda a rede estadual de ensino, em parceria com prefeituras, empresas e demais membros da sociedade civil. Vou promover torneios e jogos nas escolas estaduais, para todas as idades. É por meio da prática de esportes nas escolas que poderemos identificar e investir em atletas em potencial. Vou fortalecer os Jogos Regionais e os Jogos Abertos do Interior. Para o esporte de alto rendimento, vou aumentar a quantidade de Centros de Treinamentos ao redor do estado, capazes de dar o suporte necessário aos atletas e para-atletas.

A Polícia Militar do Estado de São Paulo continuará com uma grande presença em eventos esportivos?
A Polícia Militar estará presente em grandes eventos esportivos, de acordo com as necessidades apontadas pela análise de riscos e pelos critérios técnicos, a fim de garantir a segurança de todos envolvidos.

Os clássicos disputados em São Paulo acontecem com torcida única desde abril de 2016. Esse procedimento continuará?
Primeiro, é importante destacar que a iniciativa de se ter torcida única nos clássicos realizados em São Paulo, visando aumentar a segurança nos estádios, foi um acordo firmado entre o Ministério Público, os clubes e o estado. Entendo ser uma medida que caminha no sentido contrário ao que acontece em grandes centros esportivos do mundo e, guardadas as diferenças, daquilo que vimos acontecer na Copa do Mundo e nas Olimpíadas, onde torcidas de países diferentes apreciaram a prática esportiva, convivendo de forma civilizada e harmoniosa. Jogos com duas torcidas são muito mais animados e alegres de se participar e de se ver na televisão. Mesmo antes da implantação da torcida única nos clássicos, poucas ocorrências policiais eram registradas dentro dos estádios. A maioria ocorria nos arredores ou nas vias onde existia o deslocamento das torcidas. Atualmente, com a modernização dos estádios e com a especialização das polícias, entendo que os estádios têm condições de receber duas torcidas, devolvendo a alegria aos estádios e respeitando o direito do cidadão-torcedor. De forma complementar, é importante que haja legislação específica para punir aqueles que se envolvem em brigas e confusões de torcidas, de forma que os baderneiros sejam realmente punidos pelos atos ilícitos cometidos e o restante da torcida seja protegido. Vou trabalhar para aprovar essa lei específica.

Vale ressaltar que há casos de brigas longe da região da partida. Como aumentar a segurança e evitar esses episódios?
Brigas longe da região da partida são um problema de segurança pública e devem ser enfrentados com toda a seriedade que a situação exige. Como governador, darei atenção especial à segurança. Com inteligência, tecnologia e articulação na atuação das polícias, entendo ser possível identificar os principais pontos de tensão e de possíveis embates entre torcedores. Além disso, com legislação específica e a atuação efetiva das polícias, garantindo a segurança da população, vamos diminuir muito os casos longe da região da partida.

A mobilidade aos estádios irá melhorar? Torcedores enfrentam dificuldades para ir ao Morumbi, como também acontece em Itaquera, em jogos às 21h45.
As dificuldades encontradas pelos torcedores são reflexo da falta de mobilidade urbana em toda a Região Metropolitana de São Paulo. Segundo estudo recente da Rede Nossa São Paulo, o paulistano gasta, em média, 2 horas e 43 minutos por dia no trânsito. Isso resulta da lentidão nas obras do Metrô e da CPTM que muitas vezes demoram mais de uma década para ficarem prontas. No meu governo, irei priorizar investimentos para expansão da rede de Metrô e modernização da CPTM, de forma a reduzir o tempo que os paulistanos perdem diariamente no trânsito. No nosso programa prioritário, que deverá ser concluído durante os quatro anos do mandato, iremos concluir e ampliar linhas que irão melhorar muito a mobilidade em relação aos estádios dos três grandes times da capital. Iremos concluir as obras da Linha 17-Ouro, do Monotrilho, que irá passar pela região do estádio do Morumbi e se conectar com a Linha 4-Amarela. Também vamos reativar as obras da Linha 6-Laranja, dando mais uma opção de chegada ao estádio do Palmeiras. E vamos fazer a ampliação da Linha 2-Verde, conectando com a Linha 3-Vermelha, na estação da Penha, melhorando muito o fluxo de passageiros em direção a Itaquera.

São Paulo terá duas sedes na Copa América de 2019. Como será a preparação para o evento?
A Copa América será mais uma oportunidade para São Paulo – e para o Brasil – demonstrar seu potencial para receber grandes eventos. Vamos atuar, em articulação com a prefeitura da capital, para garantir que os turistas e torcedores possam ser recebidos da melhor forma possível, com segurança e transporte público de qualidade. Infelizmente, em virtude dos inúmeros atrasos em obras de mobilidade, ainda não teremos a Linha 17-Ouro do Monotrilho operando, mas é fundamental que a estação São Paulo-Morumbi, da Linha 4-Amarela, esteja em pleno funcionamento, de forma a garantir o acesso ao estádio do Morumbi, que receberá a abertura da Copa América 2019. Vamos também trabalhar para que o comércio e o setor de serviços de São Paulo desfrutem dessa oportunidade para alavancar negócios, trazer novos investimentos para a capital e gerar empregos.

Buscará a prefeitura para ações conjuntas na área esportiva, independentemente de questões partidárias? Como agirá nesse sentido?
Eu pretendo ter um relacionamento muito próximo com os prefeitos. Vou fazer parcerias com as prefeituras em diversas áreas. No esporte, pretendo levar a experiência do Programa Atleta do Futuro - como disse, de incentivo ao esporte, desenvolvido pelo SESI - para toda a rede estadual de ensino, em parceria com as prefeituras, empresas e demais membros da sociedade civil. Vou também criar parcerias com prefeituras e entidades para a implementação de academias ao ar livre em praças públicas, destinando-se à utilização preferencialmente de idosos. Na saúde, as prefeituras terão um papel importante na reestruturação do setor por região. Outro problema que o estado precisa coordenar junto com as prefeituras é a questão da destinação e gestão dos resíduos sólidos (lixo). Na questão da habitação, vou organizar uma força tarefa da CDHU junto às prefeituras para regularizar a ocupação do solo. Também vou estabelecer parcerias com as prefeituras para promover ações de cultura e ampliar as Fábrica de Cultura pelo interior.

Pretende introduzir ou aperfeiçoar algum tipo de programa de bolsa para o desenvolvimento de atletas?
Pretendo levar a experiência do SESI para o governo. No SESI, o esporte de alto rendimento tem o objetivo de incentivar a prática esportiva, dentro do princípio da Pedagogia do Exemplo. Ao fomentar o aperfeiçoamento de atletas e equipes profissionais, o SESI não apenas busca resultados expressivos como também contribui para a criação de novos exemplos e difunde pela sociedade uma ampla gama de modalidades esportivas ainda pouco conhecidas no Brasil. Vou também incentivar a concessão de bolsas-auxílio aos atletas.

São Paulo conta com um moderno Centro Paralímpico Brasileiro. Haverá um incentivo ainda maior no esporte paralímpico?
Sim, claro. Em primeiro lugar, precisamos garantir o acesso das pessoas com deficiência à educação de qualidade. É isso que eu fiz no SESI e é o que farei no estado. Acredito que o esporte é uma importante ferramenta de inclusão social. Vou incentivar a prática de esportes de pessoas com deficiência como política de inclusão em toda a rede estadual de educação. Vou também apoiar o esporte paralímpico de alto rendimento, assim como fiz no SESI, onde são praticadas seis modalidades de esportes paralímpicos com 80 atletas. De toda a delegação brasileira paralímpica da Rio 2016, os atletas do SESI eram o maior grupo entre as entidades que contribuíram para a formação da delegação.

Bate-bola com Paulo Skaf

Pratica ou praticou algum esporte:
Natação e ciclismo.

Ídolo no esporte:
Pelé.

Lembrança que tenha ligação com esporte:
Quando ensinei meus cinco filhos a pedalar esportivamente.

Time do coração:
São Paulo