Tubarão - Observador CBF

Observador técnico da Confederação Brasileira de Futebol William Santos esteve em Tubarão (Foto: Divulgação)

LANCE!
01/04/2019
15:51
Tubarão (SC)

O Clube Atlético Tubarão recebeu na última semana o observador técnico da Confederação Brasileira de Futebol William Santos. Inseridas em uma metodologia adotada pela entidade desde 2015, as visitas visam recrutar informações sobre atletas e conhecer a realidade em que eles estão inseridos. No Peixe, o profissional assistiu o confronto com o Vasco, pela Copa do Brasil sub-20, além de dois coletivos realizados pelos grupos sub-15 e sub-17.

- O nosso objetivo é nos aproximar das pessoas do clube, conhecer os processos, a metodologia adotada, onde o jogador está inserido. Essa troca de informação é muito importante. Todos esses dados ajudam na tomada de decisão para convocações futuras. Procuramos observar os atletas neste momento, depois em um jogo em casa, outro fora, e às vezes solicitamos a realização de algum amistoso - explica William Santos.

Antes do Tubarão, o observador passou por Avaí, Joinville, Figueirense e Guarani de Palhoça. O próximo destino será Criciúma, e depois Chapecó. Além de Santa Catarina, as visitas também aconteceram no Rio Grande do Sul - passando por Grêmio, Inter e Juventude - no Rio de Janeiro, envolvendo os quatro grandes: Flamengo, Fluminense, Botafogo e Vasco, além de ir a São Paulo observar Corinthians, Palmeiras e São Paulo.

- É a primeira vez que recebemos um observador da CBF para assistir uma partida da base justamente por termos conquistado essa vaga para a Copa do Brasil sub-20 no Campeonato Catarinense, em jogo contra um dos melhores elencos do Brasil na categoria. Isso é resultado do belíssimo trabalho que vem sendo feito desde 2016 pelo Departamento de Formação - salienta o presidente do Clube Atlético Tubarão SPE, Luiz Henrique Martins Ribeiro.

Ao todo, quatro profissionais se revezam nas visitas pelos clubes de todo o Brasil, especialmente os que tenham o Certificado de Clube Formador da CBF, como é o caso do Peixe. Eles fazem observações pelas regiões para terem olhares diferentes sobre os atletas e, no fim, reunirem todas as informações.