A liga dos EUA está dando cada vez mais atenção ao mercado brasileiro com a abertura de uma loja oficial da NFL

A liga dos EUA está dando cada vez mais atenção ao mercado brasileiro com a abertura de uma loja oficial da NFL-(Divulgação/NFL)

Danilo Lacalle- Valinor Conteúdo
13/10/2021
04:05
BH e SP

A loja da NFL chegou ao Brasil deixando um impacto contestável no consumidor local. No país onde a quantidade de fãs brasileiros da liga está se aproximando do México, 2º maior mercado da organização no mundo, os preços das camisas oficiais dos principais jogadores se mostraram menos acessíveis do que o esperado, até então. Isso, claro, devido à alta expressiva do dólar e todas as taxas de importação que existem quando um produto entra no país. Mas isso pode abrir os olhos dos times locais que, se criarem uma boa estratégia, podem se aproveitar do momento para melhorar a receita.

Atualmente, a maioria das equipes de futebol americano no Brasil dependem de mensalidades dos atletas, venda de camisas para a própria torcida, verba de patrocinadores e, quando não estávamos na pandemia, ingressos para conseguirem cobrir os custos dos jogos realizados. Com o cenário atual, onde existe uma certa insatisfação com os preços elevados da loja oficial da principal liga do mundo, é possível criar uma estratégia de marketing para aumentar a receita de cada equipe. E isso pode começar agora.

Primeiro, é necessário que cada time tenha uma melhor presença nas redes sociais. É claro que nem todos têm a possibilidade de realizar publicações todos os dias, porque muitas equipes dependem do próprio elenco para auxiliar na produção de conteúdo, nestes casos. Mas é importante que as mídias sociais estejam sendo sempre movimentadas, todas as semanas, para manter o público engajado e atualizado de todas as novidades do time. Isso sem falar na importância de impulsionar publicações para chegar cada vez em mais pessoas. Com isso, é possível partir para um segundo passo: oferecer a venda.

Claro que vender camisas do time é o desejo principal do marketing de cada equipe, mas é possível dividir para multiplicar. Eu explico: em um momento que o brasileiro ainda continua carente de produtos oficiais dos times da NFL, é possível criar um marketplace para vender produtos sob encomenda para cada cliente. Sejam eles bandeiras, copos, tábuas para churrasco, camisetas, bermudas, bonés, mini capacetes, mochilas, acessórios para carros, entre outros produtos que a NFL Shop oferece - e que têm uma excelente saída - mas que não é explorada por aqui, ainda. Pode ser uma boa maneira de criar uma receita sólida e diversificada, aos poucos, a partir do momento que se encontra bons fornecedores.

Muitas equipes têm um setor de marketing com ações avançadas para o atual panorama do cenário nacional como, por exemplo, T-Rex, América Locomotiva, Corinthians Steamrollers e Galo FA. Esse pensamento à frente faz com que o patamar do esporte cresça cada vez mais, isso porque as outras equipes, mesmo que indiretamente, passam a se espelhar em movimentações que acabam se tornando referência no cenário.

Para aumentar a receita e tornar os times cada vez mais sustentáveis, é necessário saber colocar energia em diversos potes - como uma dinâmica e investimento no mercado. Com isso, multiplicando a origem da fonte de receita, aos poucos, o futebol americano no Brasil pode passar a depender um pouco menos de atletas pagando para jogar e patrocinadores comprando cotas únicas para auxiliar nos altos gastos dos times para disputarem um campeonato nacional, por exemplo.

Assim, no futuro, além de alimentar o desejo do fã da modalidade em ter produtos oficiais a um preço mais acessível e divulgar cada vez mais o esporte no país, com uma simples marca estampada em cada produto, por exemplo, também será possível solidificar a receita das equipes para que elas se tornem cada vez maiores e a competitividade nos estados aumente a cada ano que passa.