Marcello Neves
19/06/2018
06:00
Rio de Janeiro (RJ)

A Espanha terá um desafio maior do que aparenta na segunda rodada da Copa do Mundo, na próxima quarta-feira, às 15h, em Kazan. O Irã, líder do grupo, pode não ser uma das seleções mais tradicionais em Mundiais, mas virou sinônimo de solidez defensiva desde que o técnico português Carlos Queiroz assumiu a equipe. A seleção espanhola se prepara para enfrentar um sistema defensivo que chegou a ficar 12 jogos seguidos sem sofrer gols. 

Tudo se desenha para ser uma partida de ataque contra defesa, mas está longe de ser um jogo fácil. A Espanha, dona do terceiro melhor ataque das Eliminatórias da Europa, terá que vazar a equipe de melhor defesa da fase classificatória na Ásia. Os números impressionam: os iranianos sofreram gols em apenas quatro dos 18 jogos da competição, superando a marca de 1.100 minutos sem serem vazados.

A estreia do Irã no Mundial da Rússia foi um grande exemplo disso. Teve apenas 33% de posse de bola durante os 90 minutos contra Marrocos, trocou menos da metade dos passes de seu adversário e finalizou em direção ao gol em apenas duas oportunidades. Por outro lado, foram três contra-ataques e o placar final foi de 1 a 0 para a equipe asiática. 

A proposta do técnico Carlos Queiroz foi a mesma contra seleções grandes. É possível lembrar a atuação no Mundial do Brasil, em 2014, contra a Argentina. O placar estava sem gols até o minuto 91, quando Lionel Messi acertou um belo chute de fora da área. O Irã teve apenas 30% de posse de bola e se fechou com duas linhas de quatro - mesmo esquema que usará contra a Espanha. 

A Espanha vem de 21 jogos de invencibilidade, mas teve dificuldade exatamente contra outra equipe que se fechou com o mesmo esquema: a Suíça. No penúltimo amistoso antes da Copa do Mundo, empatou por 1 a 1 tendo 65% de posse de bola, mas não conseguiu agredir um adversário que veio com a proposta de se defender e jogar no contra-ataque.

O cenário deve se repetir contra o Irã e o técnico Fernando Hierro começa a pensar em estratégias para furar o bloqueio asiático. O lateral-direito Daniel Carvajal deve voltar para a equipe titular, e Thiago é outro que pode ganhar a vaga no meio. Nacho e Koke, titulares contra Portugal por terem boa marcação, devem ir para o banco. 

Portugal e Espanha terminaram a primeira rodada do Grupo B com um ponto cada. O Irã lidera a chave, com três pontos, e Marrocos é o lanterna, com zero. A Roja encara o Irã na quarta-feira, às 15h (horário de Brasília), em Kazan, e, no dia 25, pega Marrocos, em Kaliningrado, às 15h.