Manduzkic

Mandzukic (centro) durante entrevista coletiva da Croácia, em Moscou (Carlos Alberto Vieira)

Carlos Alberto Vieira
09/07/2018
13:54
Enviado especial a Moscou (RUS)

Sem medo algum da Inglaterra e ciente de que a experiência da Croácia é um diferencial. É assim que o atacante Mario Mandzukic diz que a sua seleção está se sentindo para a semifinal desta quarta-feira, em Moscou, no Estádio Lujniki. 

- Estamos muito preparados e focados para esta partida e asseguro que não temos medo de ninguém. Porém, numa fase como esta da competição, com seleções de alto nível e que merecem estar aqui, vejo uma briga na qual a probabilidade é de 50% contra 50%, sem favoritos, mas não nego que temos um time mais experiente e isso pode ser um  diferencial - disse Mandzukic.

Aos 32 anos e titular do comando de ataque da Croácia desde 2011, Mandzukic, além de um dos jogadores mais experientes do elenco é um dos mais vitoriosos. Em clubes, jogou com sucesso mo Bayern e no Atlético de Madrid e há três anos defende a Juventus (ITA) onde trava interessante disputa com o argentino Higuaín. Pela seleção, é segundo maior goleador da história, com 31 tentos, atrás apenas de Davor Suker, artilheiro da Copa-98 e que hoje é o presidente da federação croata (45). E ele diz que o time entrará numa situação muito confortável, pois a grande pressão, segundo ele, já passou.

-  Claro que há sempre tensão numa semifinal de Copa. Mas a maior pressão existiu contra a Dinamarca.  Passamos às quartas, avançamos e agora podemos desfrutar.  Facilita as coisas - disse.

Segunda Copa

Mandzukic está em sua segunda Copa. No Brasil-2014, ele marcou dois gols, ambos sobre Camarões, em Manaus, mas como a participação croata foi fraca - caiu na primeira fase – Mandzukic pouco apareceu. Agora na Rússia, o grandalhão (1,90m) vem mostrando serviço. Foi titular em quatro dos cinco jogos da seleção, não participando apenas da partida contra a Islândia, quando a sua seleção já havia assegurado a vaga às oitavas e o treinador escalou nove reservas. Fez o gol do empate em 1 a 1 com a Dinamarca, nas oitavas, e deu o passe para o gol de Kramaric no primeiro gol croata sobre a Rússia no empate em 2 a 2 nas quartas de final, mostrando aí a sua importância também como garçom que sai da área para servir os companheiros que chegam na área.

Mecenas na cidade natal

Na última partida da Croácia, contra a Rússia, Mandzukic gastou cerca de R$ 20 mil em comidas e bebidas para que os torcedores de sua cidade natal, Slavonski Brod, vissem o jogo numa espécie de mini-fan fest que ele pediu para amigos e familiares organizarem. Deu certo e para a semifinal desta quarta-feira o atacante mandou repetir a dose.