Caballero e suas filhas

Caballero ao lado das filhas: Guillermina, a mais velha, superou um câncer - FOTO: Reprodução

Fellipe Lucena
23/06/2018
07:00
São Paulo (SP)

Wilfredo Caballero, goleiro titular da seleção argentina, já revelou ter um costume curioso:

- Eu anoto as críticas para transformá-las em metas e poder riscá-las quando as cumpro.

Crítica é o que não falta depois da falha feia que ele cometeu na derrota por 3 a 0 para a Croácia, na última quinta-feira, pelo Grupo D da Copa do Mundo. Até José Mourinho tirou sarro. O cenário é propício para um atleta perder a confiança, mas faz alguns anos que a vida mudou a personalidade de Caballero e o ensinou a ser forte na hora de encarar os problemas.

O goleiro tinha 22 anos, havia acabado de voltar de Atenas com o ouro olímpico (foi reserva de Lux) e começava sua trajetória na Europa vestindo a camisa do modesto Elche, da Espanha, quando soube que Guillermina, sua filha de três anos, estava com câncer no olho.

A vida de atleta foi deixada de lado em prol da recuperação da pequena Guille. Caballero levou a família de volta para a Argentina e passou a se dedicar apenas ao tratamento dela. Foram seis meses sem jogar ou assistir futebol, período que transformou sua personalidade.

- Tudo o que aconteceu nos deixou mais fortes e mais felizes. Eu pensava: "Se voltar a jogar futebol, vai ser tudo para cima, não vai haver dúvidas nesta cabeça. Tudo para cima, para cima!". Hoje ela está curada - contou Caballero, na entrevista que deu em 2013 à revista El Gráfico.

Após um curto período no Arsenal de Sarandí, onde voltou a jogar, Caballero retornou ao Elche. De lá, pulou para o Málaga (ESP) e para o Manchester City (ING). Hoje, aos 36 anos, é reserva do belga Courtouis no Chelsea (ING).

- Às vezes você torce o tornozelo e diz: "ai, está doendo, não posso treinar". Bobagem! Minha filha saía da quimioterapia, algo que te deixa três dias de cama, chegava em casa e queria pular, brincar o tempo todo. É questão de ser positivo na vida.

Justo ele, que tinha dúvidas sobre o próprio potencial no início de sua trajetória como jogador, no Boca Juniors (ARG). Justo ele, que até março deste ano nunca havia atuado na seleção principal. Agora as dúvidas estão do outro lado do balcão. É hora de passar por cima delas...

- Diziam que eu não poderia jogar a Primeira Divisão (da Espanha) e eu consegui. Que eu não tinha nível para a Champions League, e eu consegui (foi eleito o melhor goleiro da edição 2012/2013, pelo Málaga). Se você entra na dúvida dos demais, não dá certo. 

Caballero está escutando tudo calado. A imprensa argentina noticiou nesta sexta-feira que Franco Armani, do River Plate, tem boas chances de substituí-lo entre os titulares no jogo contra a Nigéria, às 15h de terça-feira, atendendo a um pedido de jornalistas e da maioria dos torcedores.

Se Sampaoli continuar a bancá-lo, ele estará lá, pronto para dar a volta por cima amparado por Santa Lúcia, a "virgem da vista" que está desenhada em uma tatuagem no seu braço esquerdo.