Vitória x Ponte Preta

Foto: Reprodução/TV

Futebol Latino
27/07/2019
18:29
Salvador (BA)

Se nos últimos dias a questão de fragilidade emocional do Vitória foi tema na semana, o confronto diante da Ponte Preta mostrou um poder de reação importante do Rubro-Negro que saiu perdendo, mas virou o marcador para 2 a 1 no Barradão nesse sábado (27). Agora, os baianos estão em 17° lugar com 10 unidades, somente um a menos do Vila Nova, 16°, enquanto a Ponte fica mais afastado do G4 permanecendo na oitava posição com 19 pontos.

MAL COMEÇOU E... CAIXA!

O duelo começou de maneira elétrica em Salvador com Chiquinho batendo de fora da área que passou com perigo do lado direito do gol de Iván além de Roger mandar uma bola na trave e uma testada de Airton com muito perigo, isso com 10 minutos de jogo. 

Depois de tanta intensidade, o gol que parecia estar amadurecendo para o time campineiro saiu dois minutos depois onde o lateral-direito Diego Renan cruzou na medida para Roger, de cabeça, testar para abrir a conta no Manuel Barradas. 

PRA ESPANTAR O CLIMÃO!

A bola até ficava mais com o time da casa, porém era notório que existia dificuldades de mobilidade e infiltração na grande área ponte-pretana que deixavam o ambiente na casa do Vitória bastante tenso. Todavia, foi em uma batida violenta de fora da área em cobrança de falta executada por Chiquinho com 37 minutos que o Rubro-Negro deixou tudo igual.

Quatro minutos depois, aproveitando o embalo de animação do Vitória e "susto" da Ponte, uma rápida jogada no ataque em muito motivada pelo erro na saída de bola do time paulista encontrou a chegada livre de Felipe Gedoz, frente a frente com Iván, que bateu forte no canto direito estufando as redes.  

QUASE FICOU (AINDA) MELHOR

A empolgação da virada reverberou nos comandados de Osmar Loss ainda no início da etapa complementar com uma visível "fome" de aumentar a dianteira enquanto a Ponte ainda parecia um tanto quanto desnorteada. Em jogada de muita agilidade, Lucas Cândido descolou cruzamento onde o atacante Wesley chegou na bola, mas mandou do lado da meta de Iván.

NERVOSISMO MUDA DE LADO

Se na etapa inicial o Vitória passou por momentos onde o emocional atrapalhou a recuperação na partida, nesse momento era o time de Campinas que tropeçava nos próprios erros e tinha sérias dificuldades de concatenar jogadas com potencial de assustar Martín Rodríguez. Algo que era explorado por parte do Leão com posse de bola e tentando frustrada cada vez mais o sistema ofensivo da Macaca.

QUASE FICOU (AINDA) MELHOR - PARTE 2 E PARTE 3

Antes do apito final, o Vitória teve em seus pés a chance de deixar o saldo do triunfo ainda mais elástico com Ruy abre espaço para fazer o cruzamento na grande área e Anselmo Ramon, em condições de finalizar, acabou batendo pra fora. O mesmo Anselmo ainda podia aproveitar investida que surgiu de vacilo defensivo ponte-pretano e, de novo frente a frente com Iván, desperdiçou.