Jorginho - América

Jorginho na época que era técnico do América, em 2006 (Foto: Cleber Mendes/Lancepress!)

Matheus Babo
16/01/2016
08:00
Enviado especial a Pinheiral (RJ)

América, 2006. Vasco, 2016. Dez anos se passaram desde a disputa do primeiro campeonato como treinador profissional de Jorginho. Época histórica para ele, que encontra semelhanças com as condições atuais em São Januário. Comparações que servem de motivação para que o Cruz-Maltino trilhe o mesmo caminho.

Há uma década, pelo América, Jorginho, antes da disputa da Taça Guanabara, fez uma pré-temporada completa com seus jogadores. O técnico teve uma passagem histórica, levaria o time até à final do primeiro turno do Campeonato Carioca – ficando com o vice ao ser derrotado na decisão pelo Botafogo.

Isto tudo superando dificuldades e polêmicas. Até o torcedor mais otimista do América não acreditaria que Jorginho levasse a equipe tão longe. Por falta de jogadores, chegou a promover peneira e nomes experientes, mas quase aposentados, como Valber e Robert, foram utilizados. Também quis trocar o mascote do América e proibiu xingamentos.

Agora no Vasco, uma "peneira" diferente está ocorrendo. Oito garotos das categorias de base foram levados para Pinheiral e estão sendo avaliados nesta pré-temporada. Os que se destacarem, segundo Jorginho, serão aproveitados no profissional. E em questão de nomes experientes, o atual time do treinador tem Nenê e Rodrigo.

A metodologia de Jorginho evoluiu nestes dez anos, mesmo com alguns fatores semelhantes da época que treinava o América para a atual no Vasco. O comandante sabe da responsabilidade de superar os desafios em prol do êxito do clube. Mas como futebol é imprevisível, o que resta é trabalhar.

À BEIRA DO GRAMADO

América
Jorginho iniciou a carreira de treinador no América, no fim de 2005. Comandou a equipe na Taça Guanabara do ano seguinte. Fez uma campanha histórica, levando para Giulite Coutinho o vice-campeonato.

Auxiliar
Ainda em 2006, Jorginho foi auxiliar-técnico do Fluminense e treinou um jogo como interino. A passagem durou pouco e depois foi para a Seleção Brasileira ser assistente de Dunga até 2010.

Goiás
Jorginho, após sair do cargo de auxiliar da Seleção em 2010, assumiu a equipe do Goiás.

Figueirense
Já em 2011, Jorginho assumiu o comando do Figueirense.

Kashima Antlers
Em 2012, esteve no Kashima Antlers, do Japão, por um ano.

Flamengo
Voltou ao Brasil em 2013 e treinou o Flamengo por poucos meses. Depois, no mesmo ano, ainda assumiu a Ponte Preta.

Vasco
Chegou ao Vasco no ano passado para tentar salvar o time do descenso. Não conseguiu e permaneceu.