Modesto Roma Júnior, presidente do Santos

Modesto estava hospitalizado no período da negociação (Foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/ Santos FC)

LANCE!
18/07/2016
08:00
Santos (SP)

O Conselho Fiscal do Santos enviou um ofício diretamente para o presidente Modesto Roma Júnior para que ele explique o valor pago pelo clube de R$ 2.942.214,00 a intermediários pela venda de Geuvânio, em janeiro.

A negociação com o Tianjin Quanjian, da China, foi fechada em 11 milhões de euros, mas o Peixe ficou com R$ 17 milhões, pois tinha 35% dos direitos do jogador, junto do fundo de investimentos Doyen.

O maior questionamento do Conselho Fiscal do clube é que, na reunião que selou o acordo, em São Paulo, o órgão enviou um representante, que alega não ter visto nenhum membro da empresa Lets Goal.

Modesto terá que se explicar ao Conselho Fiscal para depois fazer o mesmo em reunião do Conselho Deliberativo, o que está previsto para acontecer até o fim do mês. Vale lembrar que, no período da transferência do ex-camisa 11, Modesto estava hospitalizado. Quem representou o clube na negociação foi o vice-presidente, Cesar Conforti.

O pagamento de comissões foi o principal ponto para o Conselho decidir reprovar as contas do primeiro ano de gestão de Modesto.

A decisão foi derrubada depois que um conselheiro conseguiu uma liminar que provou votos irregulares de ex-membros da diretoria.