Vampeta (Foto: Divulgação)

Ausência interna de Vampeta em momento importante não tem agradado alas do Audax (Foto: Divulgação)

Ana Canhedo
30/04/2016
07:30
São Paulo (SP)

Na cúpula do Osasco Audax, o ex-jogador Vampeta é de longe o nome mais conhecido na mídia e entre os torcedores. Porém, o presidente é também ausente na histórica campanha que levou a equipe à final do Campeonato Paulista. Pelo menos esse é o relato de diferentes alas do clube, entre jogadores, comissão técnica e cartolas, que apontam a ausência do cartola, seja em treinos ou nos jogos do time de Fernando Diniz.

Midiático, Vampeta prefere definir-se como um “amigo do dono” quando questionado pela reportagem sobre seus dotes de dirigente. Isso poderia justificar o distanciamento do ex-volante. O dono do clube é Mário Teixeira, antes ligado ao Bradesco e hoje aposentado.

De acordo com pessoas que vivem o dia a dia do Audax, o ex-corintiano tem dado mais atenção ao seu trabalho de comentarista esportivo na Rádio Jovem Pan. Durante as partidas, ocupa-se com transmissões e compromissos na rádio. Ser comentarista toma tempo.

A ausência gera reclamações porque é como se Vampeta tivesse colhendo os frutos sem participar ativamente do processo que conduziu o time à final. Antes da semifinal contra o Corinthians, chegou a dizer que jamais perderia tal jogo, pela ligação que tem com os dois lados. Em meio ao esforço do plantel para chegar à semi, a declaração não foi bem digerida, ainda mais porque o ex-corintiano não compareceu à Arena em Itaquera.

Vampeta é amigo de Mário, tem a confiança do dono do clube e também carrega o respeito por sua história. Quem o defende diz que até para evitar conflitos de opinião não “se mete” em assuntos ligados diretamente ao time. A comunicação, às vezes, falha. E falhou recentemente.

Vampeta prometeu sete mil ingressos a Modesto Roma Jr, presidente do Santos, para o primeiro jogo da final. Sob o comando de Sojinha, que cuida da parte administrativa, a diretoria do Audax liberou uma carga de pouco mais de quatro mil e irritou bastante o santista.

Nos bastidores, quem supre a ausência de Vampeta no relacionamento com os jogadores é o diretor de futebol Nei Teixeira, presença constante nos treinamentos e de bom relacionamento com o time. Foi Nei quem trouxe Fernando Diniz de volta em setembro de 2015, pensando no Paulistão, justamente depois de assumir o cargo dado por Mário.

A reportagem do LANCE! esteve nos dois treinos abertos à imprensa pelo Osasco Audax nesta semana, na última quarta-feira e nesta sexta. Em ambos, nenhum sinal de Vampeta. O mesmo aconteceu na semana passada, véspera da semifinal contra o Corinthians. O L! tentou também o contato por telefone com o dirigente inúmeras vezes após ouvir as queixas internas no clube. O ex-jogador, porém, não atendeu às ligações até o fechamento desta edição.