Marcio Porto
12/08/2016
21:57
São Paulo (SP)

As jogadoras do Canadá fizeram da Arena Corinthians sua casa nesta Olimpíada. Nesta sexta-feira, as canadenses festejaram muitp ao bater a França no estádio e avançar para as semifinais do futebol feminino. De quebra, receberam o apoio da maioria dos torcedores presentes e devolveram com carinho. Um momento emocionante.

Depois de vencer por 1 a 0, com gol de Sophie, as canadenses se dirigiram aos torcedores para agradecer o apoio maior durante o jogo. Deram a volta no campo, como se saudassem um por um. A atenção foi retribuída com aplausos pelos presentes. O técnico John Herdman falou do carinho dos fãs e brincou que ele poderia continuar.

- Jogamos contra a Alemanha, e sabíamos que se vencêssemos voltaríamos a atuar aqui. E hoje era vencer ou vencer. Contra o Zimbábue, sentimos o que é a torcida contra, e hoje a favor. São torcedores fenomenais. O povo do Brasil é do futebol. Agora, essa torcida poderia nos seguir aonde formos jogar (risos) - declarou, em entrevista coletiva.

Foi o terceiro jogo do Canadá na Arena Corinthians nestes jogos. Antes, na fase de grupos, as canadenses bateram Zimbábue por 3 a 1 e Austrália, por 2 a 0. Elas chegam às semifinais com 100% de aproveitamento no estádio corintiano, mas curiosamente desejarão não jogar mais no palco, pelo menos nesta competição. É que só haverá mais um jogo na Arena, a disputa pela medalha de bronze. As canadenses disputam uma vaga na final na terça-feira, contra a Alemanha, no Mineirão.

A relação do Canadá com o Corinthians também chegou à imprensa. Nesta sexta, uma jornalista canadense desfilava na Arena com uma camisa do Timão. Foi com ela para as entrevistas coletivas, inclusive fazendo perguntas aos treinadores.

Já a França não teve a mesma sorte. Na primeira vez que jogou no estádio nos Jogos, a equipe saiu eliminada. Depois da partida, a alegria canadense contrastava com a tristeza das francesas. Após o apito final, algumas jogadas desabaram no campo, desoladas. Outras, imóveis, pareciam incrédulas com a derrota.