LANCE!
21/12/2016
23:44
São Paulo (SP)

O Palmeiras conheceu nesta quarta-feira o seu grupo na Copa Libertadores. O atual campeão brasileiro, que ficou no pote 2 do sorteio, foi para o Grupo 5, com o cabeça-de-chave Peñarol (URU), Jorge Wilstermann (BOL) e um time que virá da preliminar: Carabobo (VEN) x Junior Barranquilla (COL) contra o vencedor de Atlético Tucumán (ARG) x El Nacional (ECU). O LANCE! analisou os dois adversários já certos e os possíveis para o Verdão na fase de grupos. O Peñarol, campeão pela última vez em 1987, é o maior vencedor da Libertadores presente nesta edição (cinco títulos) e o maior finalista (dez, ao todo). A equipe boliviana joga em casa na altitude de Cochabamba (2.500m), mais leve do que os temidos 3.600m da cidade de La Paz.

PEÑAROL (URU)
Cidade: Montevidéu, capital do país
Títulos da Copa: 1960, 61, 66, 82 e 87
Número de finais: 10
Joga a Libertadores pela 44ª vez

Peñarol campeão 2016
(Foto: AFP PHOTO)

"O clube vive um período de renovação. Começará uma nova etapa no dia 13 de janeiro, com plantel e comissão técnica: Leo Ramos será o técnico da equipe em 2017. O destaque é a possível chegada de Christian "Cebolla" Rodriguéz, da seleção do Uruguai, antes do fim deste ano. Também se espera a incorporação de Walter Gargano, outro jogador da seleção uruguaia, e o retorno de Sebastian Sosa, vice-campeão da América com o Peñarol. Até este momento, são os reforços especulados para a disputa da Libertadores."
Por Rodrigo Ruiz, da "Rádio 1010"

Time base: Gaston Guruceaga; Alex Silva, Maxi Perg, Yeferson Quintana e Matias Rodríguez; Guzman Pereira, Walter Gargano (Cebolla Rodríguez) e Nicolas Dibble; Junior Arias e Diego Rossi. Técnico: Leonardo Ramos.

JORGE WILSTERMANN (BOL)
Cidade: Cochabamba, a 375km de La Paz (2.500m de altitude)
Títulos da Copa:
Número de finais:
Joga a Libertadores pela 17ª vez

Jorge Wilstermann
(Foto: Reprodução/chilenosporelmundo)

"O Wilstermann é uma das equipes grandes e populares da Bolívia e se classificou como o campeão do Torneio Clausura, mas no atual torneio que disputa e está prestes a terminar, não foi bem, porque terminou na quinta posição e não tem um treinador até o momento.

No elenco, tem algumas figuras conhecidas como o capitão Edward Zenteno, zagueiro da seleção boliviana, além de alguns bons nomes para o ataque, com os quais o clube espera fazer um papel no torneio."

Por Rafael Angel Sempértegui Huarita, do "Diário La Razón"

Time base: Alex Arancibia; Ricardo Verduguez, Jorge Ortiz, Edward Zenteno e Luis Méndez; Marcelo Bergese, Thomas Santos, Daniel Mancilla e Christian Machado; Miguel Suárez e Gilbert Álvarez. Técnico: Norberto Kekez.

POSSÍVEIS RIVAIS

JUNIOR BARRANQUILLA (COL)
Cidade: Barranquilla, a 980km da capital
Títulos da Copa:
Número de finais:
Joga a Libertadores pela 13ª vez

Junior Barranquilla (COL) - 2016
(Foto: Edison Toloza/Divulgação)

"O Junior Barranquilla estreará um treinador. Será Alberto Gamero, depois de grande campanha com o Deportes Tolima, vice-campeão nacional. Para o Junior, porém, o segundo semestre não foi muito bom, esteve sempre brigando na parte de baixo da tabela, depois de ter sido vice-campeão do Apertura. Para completar, o estádio Metropolitano de Barranquilla não estará à disposição durante boa parte da Copa e terão de jogar em Cartagena, mais um ponto que joga contra o time. Perdeu Vladimir Hernández, talvez seu principal jogador, para o Santos."
Por Santiago Bedoya, da "Rádio Caracol"

Time-base: Mario Viera; Germán Gutiérrez, David Murillo, Jonathan Ávila e Alexis Pérez; Enrique Serje, Sebastián Hernández, Rafael Carrascal, Robinson Aponzá e Édison Toloza; Roberto Ovelar. Técnico: Alberto Gamero.

CARABOBO (VEN)
Cidade: Valencia, 170km de Caracas
Joga a Libertadores pela 1ª vez

Caraboro
(Foto: AFP PHOTO)

"Disputará a Libertadores pela primeira vez na história por ter sido o time que mais acumulou pontos durante o ano. Caiu nas quartas de final do Clausura ante o Zulia FC, que foi campeão. Carabobo recentemente perdeu o técnico Juan Domingo Tolizano por não chegar a um acordo econômico com a diretoria. A gerência dedicou tempo a buscar um nome que possa substituir bem o homem que dirigiu a melhor temporada da equipe. Finalmente, o time decidiu pelo boliviano Julio Cesar Baldivieso, que treinou a seleção de seu país e agora chega à Venezuela para sua segunda experiência - ele já havia sido jogador do Caracas FC. O novo treinador aposta em trabalho e compromisso dos jogadores majoritariamente jovens e com destreza para o jogo.

Carabobo acaba de viver sua melhor temporada: foi o primeiro no Clausura 2016, e conseguiu na base de jogadores jovens um estilo vistoso e agradável dominar grande parte do torneio. A equipe só fez três contratações: além do treinador: o atacante Jholvis Acevedo e o lateral Luis Mago, ambos provenientes do Deportivo Anzoátegui. A experiência desta equipe passa pelo goleiro Leo Morales, que já defendeu a seleção da Venezuela, e pelo meio-campista Marlon Fernández. Apesar da juventude, outros nomes a serem considerados são o meia Carlos Suarez e o atacante Aquiles Ocanto. Cristina Novoa e Eduard Bello completam a base da equipe. Os comandados de Baldivieso vão estrear na segunda fase aspirando superar cada desafio para chegar à fase de grupos. A expectativa é que a falta de experiência no grupo não se torne um ponto fraco de uma equipe que chega à Libertadores pela primeira vez, e sim, que os jovens sejam sua referência na hora de avançar."

Por Nacho Rodriguez, do "Zona Futbol - RCR 750am"

Time-base: Leo Morales; Rivero, Manriquez, Badillo y Soto; Colina, Cova; Fernandez e Bello; Ocanto e Novo. Técnico: Julio Cesar Baldivieso.

ATLÉTICO TUCUMÁN (ARG)

Cidade: Tucumán, a 1.200km de Buenos Aires
Joga a Libertadores pela 1ª vez

Atlético Tucumán é o quinto time argentino na Libertadores 2017
La Nación/ GDA

"É a grande surpresa argentina para a Copa Libertadores. Classificou-se graças à ampliação de vagas da Conmebol e começará na segunda fase. É algo histórico para um clube que subiu à Primeira Divisão em novembro de 2015 e, um ano depois, estará jogando o primeiro torneio internacional de sua história. É um clube do interior da Argentina, da província de Tucumán, a mais nova do país, mas onde há muita paixão por futebol. Atlético é muito forte em seu estádio: chegou a ficar 32 partidas sem perder dentro de casa.

O principal problema é a saída do treinador Juan Manuel Azconzábal, que fez uma grande campanha em 2016. Agora assumiu Pablo Lavallén, que ganhou a Copa como jogador do River em 1996. É uma equipe sem grandes figuras que tentará chegar à fase de grupos para desfrutar sua estreia na Libertadores. Entre seus principais jogadores está Luis "El Pulga" Rodríguez, atacante histórico do clube, com mais de 100 gols marcados. Outros destaques são o centroavante Fernando Zampedri e o goleiro Christian Lucchetti."

Por Bruno Sturari, do "Diário Olé"

Time base: Cristian Lucchetti; Leonel di Plácido, Bruno Bianchi, Ignacio Canuto e Fernando Evangelista; Nery Leyes, David Barbona e Rodrigo Aliendro; Guillermo Acosta; Leandro González e Fernando Zampedri. Técnico: Pablo Lavallén.


EL NACIONAL (ECU)
Cidade: Quito, capital do país (2.800m de altitude)
Títulos da Copa:
Número de finais:
Joga a Libertadores pela 24ª vez

El Nacional, do Equador.
(Foto: Divulgação/ El Nacional)

"Está de volta ao torneio continental depois de estar ausente por algum tempo. Apesar de não ter feito um ano brilhante, conseguiu a maior pontuação anual para se classificar para a Copa Libertadores. Dentro de campo, oscilou muito, não conseguiu apresentar um futebol convincente apesar dos resultados. É certo que já foi uma equipe bem mais forte, mas com o passar dos anos, ficou debilitada. Perdeu seu goleiro titular para o Independiente del Valle."
Por Andrés Donoso, da "Rádio City"

Time-base: Darwin Cuero; Marco Montaño, Franklin Guerra, Javier Quiñónez, Luis Segovia; Roberto Garcés, Pedro Larrea, Adolfo Muñoz, Janner Corozo e Manuel Balda; Felipe Mejía. Técnico: Eduardo Favaro.