Couto Pereira, homenagem Chapecoense

Escolhido pela Chape, Couto seria o palco da finalíssima da Sul-Americana. (Divulgação/Coritiba)

Guilherme Moreira
02/12/2016
18:43
Curitiba (PR)

No fim da tarde desta sexta-feira, o Coritiba trouxe maiores detalhes do tributo em homenagem à Chapecoense pela morte de 71 pessoas em um acidente de avião na madrugada de terça-feira. O evento acontece no Couto Pereira, no dia 7, quarta-feira.

Escolhido pelo time catarinense para disputar a grande final da Copa Sul-Americana, que foi suspensa após a tragédia, o estádio do Coxa acolherá torcedores de todos os clubes. Apenas materiais alusivos às torcidas organizadas não serão permitidos.

A partir das 20h30, com entrada gratuita, o padre João Maria e o pastor Antônio Jairo Porto Alegre farão a celebração que será comandada por Mauro Muller. O clube sugere que todos venham com camisas brancas ou de seus clubes. O término da homenagem está previsto para 21h45, quando os atletas entrariam em campo pela finalíssima da competição.

Nas redes sociais, o movimento para encher o Major Antônio Couto Pereira é grande. Desde às homenagens da torcida do Atlético Nacional-COL, que lotou seu estádio e as imediações para se despedir das vítimas, em uma das cenas mais bonitas da história do futebol, os torcedores "cobram" para que seja feito o mesmo na próxima semana. Eventos no Facebook foram criados para reforçar a ideia.

Confira a nota oficial do Coritiba:

"O Couto Pereira foi a casa escolhida pela Chapecoense para disputar a grande final da Copa Sul-Americana no dia 7 de dezembro. Era no Alto da Glória que os atletas do time catarinense disputariam a decisão que eles tanto desejavam.

O mundo inteiro está comovido com a tragédia e o Coritiba convida todos cidadãos, sejam torcedores coxas-brancas ou de outros clubes, para o culto ecumênico, em homenagem às vítimas do acidente ocorrido na Colômbia, que acontecerá no estádio coritibano, a partir das 20h30 de quarta-feira, com término previsto para 21h45, quando os atletas entrariam em campo.

O padre João Maria e o pastor Antônio Jairo Porto Alegre farão a celebração que será comandada por Mauro Muller. O clube sugere que todos venham com camisas brancas ou de seus clubes. Materiais e uniformes de torcidas organizadas não serão permitidos.

Esta será uma justa homenagem aos atletas, membros da comissão técnica, jornalistas e tripulação do voo".