torcida Atlético-PR

Organizada foi proibida de entrar com materiais na Arena da Baixada. (Divulgação/Atlético-PR)

Guilherme Moreira
12/04/2016
16:36
Curitiba (PR)

Além de punir o atacante Walter por indisciplina, o Atlético-PR tomou outra medida em relação à polêmica do final de semana. Em nota da tarde desta terça-feira, o clube paranaense decidiu proibir a entrada de materiais da torcida Os Fanáticos. E colocará cadeiras no setor destinado à organizada.

A medida começa a valer a partir do duelo entre o Furacão e o Brasil-RS pela Copa do Brasil nesta quarta-feira, às 19h30, no estádio rubro-negro. A cúpula atleticana, que tem um histórico de atrito com as organizadas, deve manter a proibição para por toda temporada. Vale lembrar que a Ultras, outra torcida, também sofre para dialogar com a diretoria.

No texto publicado no site oficial, o Atlético-PR alega que a decisão é em decorrência do protesto da torcida antes da partida diante do Flamengo, pela Primeira Liga, quando cercaram o ônibus da delegação e pelo vídeo ameaçando Walter, depois do jogo contra o Londrina, no último domingo. 

- O CAP ressalta e manifesta com essa decisão que não tolerará qualquer ato contrário à lei, à probidade, à moral, às imagens e ao patrimônio do Clube. O futebol brasileiro não comporta mais atitudes nefastas como as aqui mencionadas, assim como episódios de violência que atentem contra o esporte, as pessoas envolvidas direta ou indiretamente com a Instituição CAP e a preservação da ordem - afirmou.

Assim, a proibição inclui: bandeiras de qualquer tamanho; todo e qualquer tipo de vestuário (camisas, calças, bermudas e bonés de torcida organizada); faixas de qualquer tamanho; baterias e demais instrumentos musicais e adereços de mão como as “caveiras” e outros.

Confira a nota oficial do Atlético-PR:

"O Clube Atlético Paranaense, por decisão de sua Diretoria e com base em ajustes verbais e por escrito, notificou hoje a Torcida “Os Fanáticos”, assim como já havia procedido com a Torcida Ultras, de que a partir desta quarta-feira, na partida entre Clube Atlético Paranaense e Grêmio Esportivo Brasil, válida pela Copa do Brasil, estarão proibidos, por período indeterminado, a entrada e o uso no Estádio Atlético Paranaense de quaisquer adereços alusivos às Torcidas Organizadas, tais como:

a) Bandeiras de qualquer tamanho;
b) Todo e qualquer tipo de vestuário (camisas, calças, bermudas e bonés de torcida organizada);
c) Faixas de qualquer tamanho;
d) Baterias e demais instrumentos musicais;
e) Adereços de mão como as “caveiras” e outros.

Informamos, igualmente, que nos próximos dias serão recolocadas cadeiras no setor FAN do Estádio e que o atual caixote alocado na área será removido e devolvido à torcida.

Tal medida proibitiva é decorrente dos últimos e lamentáveis episódios protagonizados pelas Organizadas, com o bloqueio do ônibus do Clube e seu apedrejamento, provocando danos ao patrimônio e ameaça aos atletas e comissão técnica do CAP quando da ida ao aeroporto de Curitiba para a partida contra o C.R. Flamengo, pela Primeira Liga.

Como se não bastasse este grave e inaceitável comportamento, a Torcida “Os Fanáticos”, além de hostilizar o atleta Walter Henrique da Silva durante a última partida, publicou vídeo em que o ameaça física e moralmente, com ofensas injuriosas e desrespeitosas, que acabam por atentar, novamente, contra o patrimônio e a imagem do CAP.

O CAP ressalta e manifesta com essa decisão que não tolerará qualquer ato contrário à lei, à probidade, à moral, às imagens e ao patrimônio do Clube. O futebol brasileiro não comporta mais atitudes nefastas como as aqui mencionadas, assim como episódios de violência que atentem contra o esporte, as pessoas envolvidas direta ou indiretamente com a Instituição CAP e a preservação da ordem. Este é um compromisso do CAP com suas finalidades estatutárias e com toda a sociedade."