Ônibus Atlético-PR

Uma janela do vidro foi quebrada e quase acertou um integrante da comissão técnica. (Divulgação/Atlético-PR)

Guilherme Moreira
22/03/2016
16:55
Curitiba (PR)

A derrota para o Coritiba no domingo por 2 a 0, na Arena da Baixada, pela décima rodada do Campeonato Paranaense, revoltou a torcida atleticana. Nesta quinta-feira, torcedores do clube paranaense protestaram contra o atual momento do time. Com exageros.

O elenco rubro-negro treinou pela manhã no CT do Caju sob forte chuva e, na parte da tarde, o grupo tinha viagem programada para Juiz de Fora, onde enfrenta o Flamengo, às 21h30 desta quarta-feira, no Estádio Mário Helênio, pela semifinal da Copa da Primeira Liga. No caminho, entretanto, teve uma complicação.

Integrantes da organizada do Atlético-PR, Os Fanáticos, prepararam uma emboscada na tarde desta terça-feira. Durante o trajeto para o Aeroporto Afonso Pena, o ônibus do Furacão foi interceptado por um carro, que cruzou o caminho e fez com que o motorista parasse o veículo. 

Os ocupantes desse e de outro carro saíram e começaram a xingar os jogadores atleticanos. Rojões e pedras também foram jogadas durante o protesto. Uma janela foi quebrada e um membro da comissão técnica quase foi alvejado. Não houve tentativa de invasão.

No aeroporto, a delegação rubro-negra "fugiu" de cerca de 40 torcedores e embarcou pela pista. Os torcedores do Atlético-PR, olhando de longe, gritavam "time de pipoqueiros", "vergonha" e "raça" aos atletas. O atacante Walter, que foi alvo após o clássico, também foi xingado especificamente.

A reportagem entrou em contato com o presidente Luiz Sallim Emed, mas não foi atendida.