Gabriel Carneiro e Guilherme Amaro
29/07/2016
07:30
São Paulo (SP)

A rotina do CT Joaquim Grava sofreu mudanças profundas nos últimos 40 dias, desde a contratação de Cristóvão Borges para o lugar de Tite como técnico do Corinthians. Escolhido em razão do estilo parecido com o do antecessor, o novo comandante tem inovado no método de trabalho, especialmente na dinâmica dos treinamentos. Já contando quarta e quinta-feira, o treinador dirigiu os trabalhos com portões fechados em 12 ocasiões – nas vésperas dos jogos e em datas esparsas no calendário do Campeonato Brasileiro.

Os 12 dias de treinos secretos representam quase um terço do período de Cristóvão no Corinthians, e o treinador disse recentemente que usa a privacidade para testar formações e deixar o grupo à vontade neste início de trabalho. De fato, nos últimos dias, o comandante trabalhou novidades: Elias no time titular na vaga de Rodriguinho e até uma variação para o 4-4-2.

A primeira troca, testada nos dois dias de portões fechados segundo apuração do L!, irá alterar o único setor que o técnico não havia mexido até agora, que é a dupla de volantes. Exceção feita ao gol e somando suspensões e lesões, Cristóvão já mexeu na zaga, na lateral, nas pontas, na armação e principalmente no ataque. Apenas em Bruno Henrique e Rodriguinho é que ele não havia mexido.

– A partir do meu segundo jogo já consegui colocar algumas coisas. Não tenho nenhuma preocupação em dizer que esse é o Corinthians com a cara do Cristóvão, mas é natural que com o passar do tempo eu agregue algumas coisas – disse, recentemente, o treinador com contrato até o fim de 2017 no Corinthians.

A entrada de Elias representa mais um passo de Cristóvão em busca daquilo que considera a força máxima do Corinthians para o Brasileirão – André, que voltou ao time na semana passada, também faz parte desta perspectiva. Com o departamento médico cada vez mais vazio e o seu técnico cada vez mais integrado à rotina, o Timão planeja chegar à liderança do torneio neste domingo, ao vencer o Internacional no Beira-Rio. Silenciosamente.

QUANDO ABRE O PORTÃO...

Corinthians
Corinthians colocou até tapumes para isolar treino (Foto: LANCE!Press)

Treino técnico - Cinco dos 38 dias de trabalho de Cristóvão foram dedicados a atividades técnicas, com foco em passe, triangulação, posse de bola, finalização ou trabalho específico para defensores e jogadores de ataque do Timão.

Outros treinos - Além de sete dias de folga, o Corinthians teve mais seis dias de treino regenerativo, trabalho leve dos titulares ou então só desembarque após viagens. Ainda houve dias e períodos só para treinamentos físicos durante as quatro semanas sem partidas no meio.

Bola rolando - Dois jogos-treino e sete partidas oficiais já foram disputadas, com quatro vitórias, dois empates e somente uma derrota.